Guilherme Russo, O Estado de S.Paulo

07 de dezembro de 2010 | 00h00

Pacto nórdico depende de acordo militar

Um pacto militar ao estilo da Otan e uma cooperação consular mais próxima poderiam formar uma nova aliança entre Dinamarca, Finlândia, Islândia, Noruega e Suécia, prenunciando alguns dos desdobramentos futuros da União Europeia. O pacto nórdico já foi discutido por chanceleres dos países em Reykjavik em novembro e deverá entrar em debate novamente em Helsinque, em abril. A base é uma lista de propostas feita em 2009 pelo ex-ministro de Relações Exteriores e Defesa norueguês Thorvald Stoltenberg, que propõe a criação de forças-tarefas militares e civis em regiões instáveis - com unidades de vigilância e resposta a tragédias.

WORD POLITICS REVIEW

China e Índia de olho no continente gelado

Na mesma época em que a Índia anunciava sua primeira expedição ao Polo Sul, um time chinês de pesquisadores embarcou na 27.ª viagem do quebra-gelo Dragão da Neve à Antártica. Ocorridas em outubro, as expedições refletem a crescente atenção dos países no continente. A Índia entrou no Tratado da Antártica em 1981 e planeja construir sua terceira base em 2012. A China tem três bases no continente.

ASSOCIATED PRESS

Hipopótamo libertado por risco de enchente

O dono de um zoológico particular em Montenegro, na Albânia, libertou a hipopótamo Nikica, por causa do risco de inundação no local. Em janeiro, o animal de duas toneladas fugiu nadando, depois que o nível das águas subiu em sua jaula - e quase foi sacrificado quando foi encontrado em um bosque. Para evitar o perigo durante as chuvas desta temporada, Dragan Pejovic está mantendo Nikica em um campo.

REUTERS

Balonistas sumidos há 2 meses são encontrados

Os corpos de dois balonistas americanos que desapareceram em 29 de setembro na costa da Itália durante uma corrida de balões foram encontrados, informaram ontem autoridades do país. A cesta do balão com os restos de Richard Abruzzo e Carol Rymer-Davis enroscou-se em uma rede de pesca e acabou encontrada por um barco na região da Puglia. A queda teria ocorrido durante uma tempestade.

CHINESA

486,1 km/h

é a maior velocidade já atingida em uma ferrovia e foi registrada na China pelo trem Número de Harmonia, segundo a companhia de trens do país. O recorde ocorreu entre Zaozhuang e Bengbu e superou os 416,6 km/h alcançados em setembro. O trem CRH380A será usado na rota entre Pequim e Xangai

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.