WikiLeaks anuncia vazamento 'sete vezes maior' que o da guerra do Iraque

Site divulgou em outubro 400 mil documentos sobre o conflito; data e assunto não foram revelados

estadão.com.br

22 de novembro de 2010 | 12h28

Reprodução do recado do WikiLeaks no Twitter.

 

ESTOCOLMO - O site WikiLeaks anunciou nesta segunda-feira, 22, que em breve divulgará uma quantidade de documentos sete vezes maior que a vazada recentemente em relação à guerra do Iraque, informa a agência de notícias AFP. A data da divulgação e o assunto de tal material, porém, não foram revelados.

 

"A próxima publicação tem sete vezes o tamanho dos documentos sobre a guerra do Iraque. Há uma intensa pressão sobre esse material há meses. Ajudem-nos a manter a força", informou o site em seu perfil da rede de microblogs Twitter.

 

O anúncio do novo vazamento ocorre em um momento no qual o cofundador e redator-chefe do WikiLeaks, o australiano Julian Assange, recebeu um mandato de prisão da Justiça da Suécia acusado de estupro e violação sexual.

 

O site publicou em julho cerca de 77 mil documentos secretos dos EUA sobre a guerra no Afeganistão. No mês passado, o WikiLeaks publicou mais 400 mil documentos sobre a guerra do Iraque, relatando incidentes envolvendo os soldados americanos ocorridos entre 2004 e 2009, incluindo casos de tortura.

 

Desde essas divulgações, o WikiLeaks se converteu em um grande inimigo do Pentágono, mas não revelou a origem dos vazamentos. O Exército americano suspeita que Bradley Manning, especialista em análise dos serviços secretos dos EUA, esteja por trás do caso. Ele foi detido em maio deste ano, depois de o WikiLeaks ter divulgado um vídeo de um helicóptero americano disparando contra civis iraquianos.

Tudo o que sabemos sobre:
WikiLeaksvazamento

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.