WikiLeaks: Brasil se opôs a ação militar dos EUA

Um telegrama da Embaixada dos Estados Unidos em Bogotá indica que militares americanos realizaram voos na fronteira entre a Colômbia e o Brasil, na Floresta Amazônica. Segundo o documento, vazado pelo site WikiLeaks, o Ministério da Defesa brasileiro sabia dos exercícios e chegou a pedir o cancelamento das manobras.

AE, Agência Estado

30 de dezembro de 2010 | 09h23

O telegrama é de 2009 e revela uma conversa em agosto desse ano entre o então Ministro da Defesa da Colômbia, Gabriel Silva, com o então embaixador americano em Bogotá, William Brownfield. "Silva informou ao embaixador sobre as ações diplomáticas tomadas pelo governo brasileiro, que está preocupado com os voos americanos próximos ao Brasil e um possível aumento dos militares americanos na Colômbia", afirmou o telegrama.

Silva relatou aos americanos como teria sido a visita do ministro da Defesa, Nelson Jobim, à Colômbia em agosto de 2009. "Silva afirmou que os brasileiros expressaram preocupação com as missões transfronteiriças", indicou o documento.

Segundo o telegrama americano, o embaixador brasileiro em Bogotá chegou a se reunir com Silva e com o então vice-chanceler para manifestar essa preocupação. A diplomacia americana também foi informada de que o Brasil tinha pedido aos colombianos uma cópia do acordo para o estabelecimento de bases militares americanas no país. "O chanceler da Colômbia nos informou que não pretendiam compartilhar o texto (do acordo)", afirmou o telegrama. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.