WikiLeaks condena ameaça britânica contra Assange

O site WikiLeaks condenou nesta quinta-feira a ameaça britânica de invadir a embaixada do Equador em Londres, onde seu fundador, Julian Assange, está refugiado. O site classificou a ameaça como um ataque "hostil e extremo" às pessoas que pedem asilo político. O chanceler equatoriano, Ricardo Patiño, disse que a decisão sobre o pedido de asilo será anunciada hoje às 9h (horário de Brasília).

Agência Estado

16 de agosto de 2012 | 01h40

"O WikiLeaks condena nos termos mais fortes possíveis o uso de intimidação por parte do Reino Unido", diz o comunicado do site. "Uma ameaça desta natureza é um ato hostil e extremo, que não é proporcional às circunstâncias, e um ataque sem precedentes aos direitos dos que pedem asilo em todo o mundo", afirma o texto. O australiano está na embaixada do Equador há oito semanas, desde que perdeu uma disputa jurídica para evitar ser extraditado para a Suécia, onde é procurado para responder por acusação de estupro. Ele nega o crime.

Assange irritou os Estados Unidos em 2010, quando seu site publicou documentos diplomáticos secretos. O fundador do WikiLeaks disse que teme que a Suécia o extradite para os EUA, porque acredita que ali sua vida corre perigo. O governo da Austrália informa que pouco pode fazer por Assange. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
WikileaksameaçaAssange

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.