WikiLeaks divulga 2,4 milhões de e-mails sírios

O site WikiLeaks anunciou ontem a publicação de mais de 2,4 milhões de e-mails de autoridades da Síria, muitos deles relacionados a funcionários do governo. Sarah Harrison, porta-voz do site, disse que os documentos revelam mensagens entre o governo sírio e companhias ocidentais. Harrison afirmou que "o material é embaraçoso para a Síria, mas também é constrangedor para os críticos do regime".

O Estado de S.Paulo

06 de julho de 2012 | 03h07

Esse não é o primeiro vazamento de e-mails sírios. Em fevereiro, o jornal israelense Haaretz publicou trechos de e-mails obtidos de servidores sírios pelo Anonymous, grupo ativista na internet. Em março, o diário britânico Guardian publicou mensagens de opositores do regime. Ontem, Harrison disse que os novos e-mails são de agosto de 2006 a março de 2012 e vieram de vários de domínios diferentes, incluindo o Ministério dos Assuntos Presidenciais da Síria. / AP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.