WikiLeaks irá aumentar fluxo de vazamento de documentos, diz Assange

Em frente a corte, australiano disse que uma nova onda de revelações ocupará as páginas dos jornais

Associated Press

11 de janeiro de 2011 | 12h05

LONDRES - O WikiLeaks irá intensificar a velocidade de publicação de documentos secretos, anunciou nesta terça-feira, 11, o fundador do site Julian Assange, prometendo mais revelações baseados nos documentos confidenciais de embaixadas americanas e outros documentos obtidos.

 

Veja também:

especialEspecial: Por dentro do WikiLeaks

lista Veja tudo o que foi publicado sobre o assunto

 

Assange, de 39 anos, falou a jornalistas no lado de fora da Corte dos Magistrados de Belmarsh, em Londres, onde ele e seus advogados apareceram para uma audiência em um processo de extradição para a Suécia, que o acusa de crimes sexuais.

 

O WikiLeaks provocou um tumulto internacional quando começou a publicar centenas de mensagens secretas da diplomacia americana no ano passado, revelações que causaram semanas inteiras de notícias embaraçosas para os EUA e seus aliados.

 

Mas o fluxo de revelações, publicadas no The New York Times, The Guardian, Der Spiegel, Le Monde e El País, abrandou recentemente em meio a uma enxurrada de ataques online, dificuldades financeiras e do processo sueco contra Assange.

 

O hacker australiano disse que isso iria mudar logo, indicando que novos veículos de mídia devem receber novos documentos.

 

"Estamos intensificado nossa publicação para assuntos relacionados aos vazamentos de documentos diplomáticos americanos e outros materiais", disse Assange. "Eles estarão em breve ocupando as páginas dos nossos jornais parceiros ao redor do mundo - jornais grandes e pequenos e organizações de direitos humanos."

 

Assange voltou a corte sem responder a perguntas.

 

O líder do WikiLeaks esteve sob estrita reclusão em uma mansão no leste da Inglaterra desde sua prisão no mês passado, por acusações de estupro e abuso sexual decorrentes do encontro com duas mulheres, durante uma viagem à Suécia no verão passado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.