WikiLeaks promete 15 mil documentos sobre Afeganistão

O WikiLeaks anunciou que em breve deve divulgar outros 15 mil papéis sobre o conflito no Afeganistão. Eles complementariam os cerca de 90 mil que vazaram este ano. A afirmação foi feita ontem por um porta-voz do WikiLeaks, logo depois da entrevista coletiva do fundador do site, Julian Assange, em Londres. O WikiLeaks não informou qual período será coberto pelos novos documentos. Até agora, a maior parte das informações corresponde ao período em que George W. Bush era presidente. Porém, o envolvimento dos americanos no Afeganistão aumentou na administração de Barack Obama, apesar de ter se reduzido no Iraque. Assange negou conflitos internos dentro do WikiLeaks. Alguns ex-colaboradores romperam com o australiano nos últimos meses por discordar de seus métodos de trabalho.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.