WikiLeaks: Uribe tentou negociar com as Farc no final do mandato

Segundo mediador do governo colombiano, houve tentativas de gerar 'clima de confiança'

estadão.com.br,

08 de dezembro de 2010 | 20h25

Novas mensagens diplomáticas do departamento de Estado americano indicam que o ex-presidente da Colômbia Alvaro Uribe tentou secretamente um diálogo direto com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc). Os documentos foram divulgados hoje pelo jornal espanhol El País e pelo WikiLeaks.

Veja também:

especialEspecial: Por dentro do WikiLeaks

blog Radar Global: principais vazamentos do 'cablegate'

lista Veja tudo o que foi publicado sobre o assunto

Em mensagem de janeiro deste ano, o embaixador William Brownfield diz que o alto comissário para a paz na Colômbia Frank Pearl comunicou a existência de canais de comunicação com a guerrilha para gerar um clima de confiança que conduza ao fim da guerra civil no país.

Uribe deixou o cargo em agosto e foi substituído por Juan Manuel Santos, seu ex-ministro de defesa. Nos últimos oito anos, as Farc sofreram uma série de derrotas, que incluem a perda de território, a morte de suas principais lideranças e o resgate de reféns.

Venezuela

Em outra mensagem diplomática, fontes do governo russo informaram a embaixada americana em Moscou que o presidente venezuelano Hugo Chávez havia comprado 100 mísseis terra-ar da Rússia. A compra de material bélico, feita pela Venezuela no ano passado, foi amplamente divulgada, mas o número de mísseis era desconhecido. Os EUA temem que este material possa cair nas mãos das Farc.

Tudo o que sabemos sobre:
FarcAlvaro UribeEUAColombia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.