Wikileaks vai divulgar mais de 400 mil arquivos secretos sobre o Iraque

Em julho, organização divulgou cerca de 90 mil documentos militares sobre a guerra no Afeganistão

Efe

18 de outubro de 2010 | 01h54

WASHINGTON - Nas próximas horas, a ONG Wikileaks pretende divulgar mais de 400 mil documentos secretos sobre a Guerra do Iraque, no que constitui sua maior filtragem de informação desde julho passado, informou no domingo, 17, a imprensa americana.

Em julho, a organização divulgou em sua página de internet cerca de 90 mil documentos militares secretos relacionados com a guerra no Afeganistão

Esses documentos, que abrangem de janeiro de 2004 até 2010, incluíam dados sobre a ajuda dos serviços secretos paquistaneses ao movimento talibã e operações encobertas e mortes de civis das quais nunca se informou publicamente.

Agora, segundo a imprensa que cita fontes anônimas, a Wikileaks, fundada em 2006, divulgará documentos que, aparentemente, incluem dados sensíveis sobre táticas e estratégias militares.

O Pentágono disse no domingo que, frente à possível filtragem dos documentos, formou uma equipe de 120 analistas para avaliar o impacto de sua divulgação.

O acesso à página de internet da Wikileaks foi impossível e uma pequena nota da organização informa unicamente que esta atravessa desde o dia 29 de setembro um período indeterminado de "manutenção".

A ONG mantém uma conta ativa no microblog Twitter, que não conta com a capacidade de divulgar o volume de documentos que a Wikileaks aparentemente obteve, como sempre, de fontes anônimas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.