EFE/EPA/STR CHINA OUT
EFE/EPA/STR CHINA OUT

Em Wuhan, 1,4 milhão de estudantes voltam às aulas

Pelo menos 2,8 mil escolas voltam a funcionar na cidade da China onde começou a pandemia de coronavírus

Redação, O Estado de S.Paulo

01 de setembro de 2020 | 08h40

WUHAN - Quase 1,4 milhão de estudantes retornaram às aulas nesta terça-feira, 1, em pelo menos 2,8 mil jardins de infância e escolas de ensinos básico e fundamental em Wuhan, cidade na região central da China, onde o novo coronavírus surgiu, no fim de 2019.

As escolas de todo o país – fechadas no fim de janeiro em razão da pandemia – voltaram a abrir de forma gradual. No entanto, em Wuhan, as escolas de ensino básico e fundamental ficaram fechadas por sete meses. Apenas as escolas de ensino médio da cidade haviam retomado as atividades em maio.

As instituições de ensino seguem protocolos para evitar os riscos de novos surtos: a higiene das mãos, a manutenção de uma distância segura e o uso de máscaras no caminho entre a escola e casa, especialmente se for utilizado o transporte público nas viagens, uma opção que eles recomendam evitar para minimizar o contato humano. 

O governo local disse que elaborou planos de emergência para retomar o ensino online caso haja novos surtos. As escolas receberam ordens de estocar equipamentos de controle de doenças – como máscaras e kits para realizar exames. As escolas também devem restringir reuniões e enviar relatórios diários às autoridades de saúde.

De acordo com dados oficiais, Wuhan concentrou 80% das mais de 4,6 mil mortes provocadas pelo novo coronavírus na China. Para controlar a disseminação do vírus, a cidade permaneceu 76 dias em confinamento rigoroso, no início do ano. Meses depois, Wuhan também organizou, em maio, uma campanha de testes em larga escala para a população de 11 milhões de pessoas.

Festa eletrônica

Há duas semanas, a cidade se envolveu em uma controvérsia global após fotos de uma festa de música eletrônica circularem pelo mundo. Na ocasião, milhares de jovens lotaram um parque aquático da cidade, sem máscara e sem respeitar o distanciamento social. 

Assim como ocorreu em Wuhan, medidas preventivas também foram tomadas em escolas do leste, centro e sul da China, de acordo com a agência de notícias estatal Xinhua. Em Xangai, mais de 1,5 milhão de alunos do ensino fundamental e médio voltaram às aulas. 

Em Pequim, os universitários também já recomeçaram o ano letivo. Na capital, os alunos do ensino fundamental e médio retornarão às aulas de forma escalonada, sendo que alguns já iniciaram na semana passada, enquanto outros só retornam no dia 7. De acordo com os últimos dados da Comissão Nacional de Saúde, na China existem atualmente 216 pessoas infectadas com o novo coronavírus, três delas internadas em estado grave. / REUTERS e AFP

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.