Xanana Gusmão não será candidato nas eleições do Timor

O presidente do Timor Leste, Xanana Gusmão, anunciou nesta sexta-feira que não será candidato nas eleições presidenciais previstas para o próximo ano, e pediu ao povo timorense que aceite um novo governante."Já estou velho e cansado. O Timor Leste não deve depender apenas", afirmou o governante aos jornalistas em Díli."Quero fazer algo novo pelo Timor Leste fora do Governo", destacou Gusmão, acrescentando que pretende ser parta da imprensa do país."Desejo ser jornalista, fotógrafo e chefe de redação", manifestou de forma entusiasmada aos repórteres.O Timor Leste se tornou um Estado independente em 20 de maio de 2002, após quatro séculos como colônia portuguesa e depois de livrar-se de 24 anos de ocupação indonésia.Gusmão se transformou em líder do movimento independentista Fretilin em 1978, após a morte de seu antecessor, Nicalau Lobato, e em novembro de 1992 foi detido pelos ocupantes indonésios e condenado à prisão perpétua.Com a queda do presidente indonésio Suharto, substituído por Yousef Habibie, o dirigente da resistência timorense foi libertado e permaneceu sob prisão domiciliar em Jacarta até que, após o plebiscito organizado de agosto de 1999 promovido pelas Nações Unidas e vencido pelos independentistas, foi libertado e retornou a Díli.Em 14 de abril de 2002, as primeiras eleições presidenciais transformaram o antigo líder guerrilheiro em primeiro presidente da história independente do Timor Leste.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.