Xangai fica em alerta com chegada de tufão à China

O tufão Wipha chegou à China naquarta-feira (horário local), trazendo fortes ventos e chuvas,num momento em que o centro financeiro chinês, a cidade deXangai, se prepara para o que pode ser o tufão mais devastadorem uma década. Mais de 2 milhões de pessoas foram retiradas de cidades doleste chinês antes do Wipha, que atingiu o continente nocondado de Cangnan na província litorânea de Zheijang, informoua mídia estatal.Em nota divulgada pelo site do governo chinês (www.cn.gov), opresidente Hu Jintao e o primeiro-ministro Wen Jiabao "exigemque as províncias e cidades relevantes fortaleçam sua guardacontra o tufão, intensificando a implementação de medidas dedefesa (...) salvaguarda das vidas e segurança das pessoas". Xangai foi abalada por fortes ventos antes da chegada datempestade. O trânsito diminuiu devido às enchentes quechegaram a inundar alguns estacionamentos subterrâneos. Os mercados financeiros devem abrir no horário normal, masa bolsa de valores da cidade informou que vai monitorar ascondições climáticas ao longo do dia. A cidade suspendeu todos os projetos de construção, fechouparques próximos a rios e retirou 291 mil pessoas de áreasbaixas. A agência de notícias estatal Xinhua informou que duaspartidas da Copa do Mundo de futebol feminino, inicialmenteprevistas para Xangai e Hangzhou, foram adiadas e a partidaprevista para Xangai foi transferida para Hangzhou. Uma das partidas adiada é a da seleção brasileira contra aDinamarca, que será disputada na quinta-feira em Hangzhou, deacordo com a Confederação Brasileira de Futebol (CBF). (Por Lindsay Beck e George Chen)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.