Xiita libanês diz que Saddam Hussein é agente dos EUA

O grande aiatolá xeque Mohammed Hussein Fadlallah, um destacado pregador muçulmano xiita libanês, comparou a repressão dos Estados Unidos aos iraquianos protestando contra a presença militar americana no Iraque com as duras medidas adotadas por Israel contra os palestinos na Cisjordânia e Faixa de Gaza. Fadlallah que se opõem fortemente tanto ao ex-presidente iraquiano Saddam Hussein quanto à guerra liderada pelos EUA no Iraque. E exortou os iraquianos a exigirem a retirada das forças americanas do Iraque. "O povo iraquiano tem de extrair uma lição. Precisa entender que os americanos vieram para explorar o Iraque depois que o papel do agente deles, Saddam, acabou; e que eles não vieram para libertá-lo", afirmou."Não pedimos a vocês (iraquianos) uma aventura improvisada. Mas pedimos a vocês para estudarem cuidadosamente um confronto contra as forças da arrogância e da ocupação e um entendimento de seus planos e objetivos", disse. "Que haja uma só voz na exigência da retirada americana do Iraque e que deixem os iraquianos administrarem seus próprios assuntos", afirmou Fadlallah nos sermões desta sexta-feira. Ele condenou as recentes mortes por soldados dos Estados Unidos de civis iraquianos protestando contra a presença militar americana em Faluja, um bastião muçulmano xiita 48 km a oeste da capital iraquiana, Bagdá. "No Iraque, os métodos americanos em Faluja, matando manifestantes civis com o pretexto de autodefesa, são os mesmos métodos usados pelos israelenses (contra os palestinos)", comparou Fadlallah a mais de 2.000 fiéis numa mesquita no sul de Beirute.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.