Xiita radical condena decapitação de reféns no Iraque

O clérigo xiita radical Muqtada al-Sadr, que inflamou uma rebelião armada contra a ocupação americana no Iraque, condenou os terroristas que decapitam reféns estrangeiros no país. Encabeçando as orações de sexta-feira pela primeira vez em dois meses na mesquita de Kufa, ao sul de Bagdá, Al-Sadr criticou os militantes do islamismo sunita, rival do xiitismo, que assumiram a responsabilidade pela decapitação de pelo menos três estrangeiros, desde abril.?Condenamos o que algumas pessoas vêm fazendo a respeito da decapitação de prisioneiros, o que é ilegal segundo a lei islâmica?, disse. ?Quem quer que faça isso é um criminoso e será punido segundo a lei islâmica?.Al-Sadr liderou um levante contra as forças americanas nas regiões xiitas do Iraque, a partir de abril. Batalhas entre soldados dos EUA e fiéis da milícia Al-Mahdi, inspirada pelo clérigo, deixaram centenas de mortos antes do acordo de cessar-fogo firmado em junho.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.