Xiita radical retira exigências e aceita conter rebelião

Ameaçado de morte pelas forças americanas e cedendo a pressões de líderes muçulmanos xiitas iraquianos e iranianos, o clérigo radical xiita Moqtada al Sadr renunciou a todas as condições impostas à coalizão para deter a rebelião xiita iniciada por milicianos armados sob seu comando.Al Sadr declarara "guerra santa" às forças da coalizão, e vinha exortando os iraquianos a expulsá-las do Iraque. Milicianos leais a ele mataram vários soldados americanos nos últimos dez dias. Em resposta, as forças americanas cercaram a cidade sagrada de Najaf, 160 quilômetros ao sul Bagdá, e uma invasão era considerada iminente."Moqtada al Sadr está disposto a aceitar o que pede a Marjaiya (a mais alta instância religiosa xiita) e a renunciar às condições que havia anunciado para uma mediação", disse o porta-voz do clérigo, Qais al Jazaali. E acrescentou: "Al Sadr deixa também as negociações nas mãos da Marjaiya."A Marjaiya designou uma comissão, chefiada por Abdel Karim al-Aanazi, líder do Partido Dawa. Essa comissão terá o apoio de uma delegação do Ministério das Relações Exteriores do Irã, que chegou a Bagdá com o objetivo de mediar a crise criada com a revolta liderada pelo clérigo radical e os inúmeros casos de seqüestro de estrangeiros.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.