Xiitas e curdos comemoram a execução de Saddam

Grupos xiitas deram tiros para o ar em sinal de alegria pela execução de Saddam Hussein, nas cidades e distritos em que sua comunidade, oprimida durante o regime do ex-ditador iraquiano, é majoritária. Saddam foi enforcado por volta das 6 horas deste sábado (1 hora pelo horário de Brasília), em Bagdá, após ter sido condenado por um tribunal iraquiano pela tortura e morte de 148 xiitas, em 1982.Após o anúncio da execução, as emissoras de TV iraquianas começaram a divulgar canções patrióticas, acompanhadas de imagens das pessoas torturadas e das valas comuns encontradas no Iraque, após a queda do regime do ex-ditador, em abril de 2003.Nas regiões curdas, o enforcamento do ex-ditador também foi comemorado. A população acusa Saddam de ter comandado a morte de dezenas de milhares de curdos, durante a operação Anfal, em 1988. Nas províncias de Basra e Diwaniya, onde a maioria da população é xiita, centenas de pessoas saíram às ruas para distribuir alimentos, como mostra de alegria, segundo a tradição local.Nos bairros e nas cidades sunitas, não foi registrada nenhuma reação popular à execução de Saddam. Só foram ouvidos os gritos de "Alahu Akbar" - "Deus é grande" - nas mesquitas, por ocasião do início da festa muçulmana do Sacrifício.Os xiitas, que representam mais de 60% da população iraquiana, foram oprimidos pelo regime do ex-presidente iraquiano. Agora, eles controlam o governo, a polícia e o Exército, e responsabilizam Saddam pela morte de dezenas de milhares de membros da comunidade.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.