Xiitas estão divididos no Iraque

Os xiitas iraquianos, depois de décadas de repressão imposta pelo regime de Saddam Hussein, agora lutam entre si pelo poder. O aiatolá Mohammed Baqir al-Hakim, morto num atentado a bomba nesta sexta-feira, era o líder do Conselho Supremo para a Revolução Islâmica no Iraque, e enfrentava a oposição de um grupo de xiitas mais jovens, que contam com forte apoio em Sard City, uma área de cortiços em Bagdá. Não há, porém, nenhuma evidência de que a oposição interna tenha articulado o atentado de hoje.O aiatolá morto pertencia a uma das famílias mais tradicionais da comunidade xiita. Seu irmão, Abdel-Aziz al-Hakim, é membro do governo provisório nomeado pelos EUA. Os jovens xiitas, liderados pelo xeque Muqtada al-Sadr, tentam tirar o poder da família Al-Hakim e substituir as fações xiitas mais tradicionais. O pai de Al-Sadr era um líder da comunidade acadêmica xiita que foi morto por Saddam.A disputa pelo poder tem se centrado em Najaf, a cidade iraquiana mais sagrada para os xiitas. O atentado desta sexta-feira ocorre uma semana depois de uma explosão na casa de outro importante figura xiita, Mohammed Saeed al-Hakim, ter causado três mortes e deixado dez guardas feridos.No dia seguinte à queda de Saddam, uma turba na mesquita do Imã Ali linchou Abdul Majid al-Khoei, um clérigo xiita recém-chegado do exílio.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.