Xiitas impõem leis islâmicas no Iraque

Encorajados pela derrubada de Saddam Hussein e o subseqüente vazio de poder, clérigos muçulmanos tentam impor as estritas regras islâmicas no Iraque, um país de população predominantemente muçulmana, mas relativamente liberal, até agora. A campanha é encabeçada por clérigos xiitas, que desde a saída de Saddam assumiram o controle de vários bairros de Bagdá e das cidades de maioria xiita em todo o país. Ao mesmo tempo em que se distanciam da violência, os clérigos deixam claro que seu principal objetivo é a criação de um Estado totalmente islâmico.Além de exortarem as mulheres para que se cubram com o tradicional xale islâmico, o chador, ordenaram aos iraquianos - através de volantes, inscrições em muros e nos sermões - que consultem os clérigos muçulmanos sobre "todos os assuntos, grandes e pequenos". Nas últimas semanas, algumas lojas de bebidas cerraram suas portas após serem atacadas ou ameaçadas. As salas de cinema que exibem filmes eróticos foram notificadas para que deixem de exibi-los ou enfrentem as conseqüências. Algumas cederam, e agora só exibem filmes de ação; outras se limitaram a cobrir de preto seus cartazes. As mulheres que não aderirem às regras do vestuário islâmico já foram admoestadas em várias ocasiões. E inscrições nas ruas de Bagdá pedem a criação de um Estado islâmico: "Não a Saddam, não aos EUA; só o Islã", dizem algumas pichações.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.