Xiitas unem-se para eleição; sunitas insistem em boicote

Autoridades religiosas xiitas do Iraque divulgaram uma coalizão de candidatos apoiada pelo principal clérigo xiita do Iraque, aiatolá Ali al-Sistani, para as eleições de 30 de janeiro. Batizada de Aliança Iraque Unido, a lista de candidatos inclui os dois maiores partidos xiitas - o Conselho Supremo para a Revolução Islâmica e o Partido Islâmico Dawa - e o Congresso Nacional Iraquiano, liderado pelo antigo favorito dos EUA no Iraque, Ahmed Chalabi. Muçulmanos sunitas ligados a vários grupos tribais constam da lista, mas nenhum grande movimento sunita faz parte dela. Um grupo xiita curdo, membros da minoria religiosa yazidis e um movimento turcomano também são contemplados. Os membros da lista disputarão a eleição para as 275 vagas na assembléia que redigirá a Constituição do país. Se aprovada em referendo, a Constituição será a base para uma nova eleição, em 15 de dezembro de 2005.Importantes partidos dos sunitas, corrente do Islã que representa 20% da população iraquiana, pediram um boicote do pleito. Um dos seis autores da lista da Aliança Iraque Unido, o físico nuclear Hussain al-Shahristani, disse o movimento radical xiita Sadrista, liderado pelo líder antiamericano Muqtada al-Sadr, ficou de fora porque não se constituiu num partido político, mas disse que "o movimento Sadrista anunciou que apóia as autoridades religiosas e seu apelo por eleições". Segundo al-Shahristani, "ele também apóia a lista".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.