Xinhua critica Malásia por conduta em investigação

O jornal oficial do governo chinês, Xinhua News Agency, criticou a conduta da Malásia nas investigações sobre o desaparecimento de um avião com a maioria dos passageiros de origem chinesa.

AE, Agência Estado

17 de março de 2014 | 02h36

No sábado, o primeiro-ministro malaio, Najib Razak, comunicou que dados de satélite mostram que o Boeing 777 saiu de rota e permaneceu no ar por ao menos seis horas após desaparecer dos radares militares da Malásia. A Xinhua classificou a nova informação como valiosa para reduzir o escopo da busca, mas criticou os malaios por esperarem mais de sete dias para divulgarem a informação.

"Dada a tecnologia atual, o atraso leva à conclusão ou de prevaricação ou de relutância em compartilhar a informação de modo completo e pontual. Isso seria intolerável", afirmou o editorial, que também criticou os EUA para serem mais transparentes sobre o que sabem do desaparecimento da aeronave.

O voo MH370, da Malaysia Airlines, desapareceu dos radares no dia 7 de março com 239 pessoas a bordo. A aeronave decolou de Kuala Lumpur e faria o pouso em Pequim. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
Malásiachinacrítica

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.