YouTube é bloqueado por 30 dias no Egito

Uma corte no Egito determinou o bloqueio por 30 dias do YouTube por hospedar um vídeo anti-islâmico que causou protestos mortais no mundo inteiro. O juiz Hassouna Tawfiq ordenou que o governo do país bloqueie neste sábado o site que contém um filme amador produzido por um egípcio nos Estados Unidos. A película causou alvoroço por denegrir o Islã e o profeta Maomé.

AE, Agência Estado

09 de fevereiro de 2013 | 11h26

O advogado Mohammed Hamid Salim, que entrou com o processo no ano passado, alega que o filme constitui uma ameaça à segurança do país. Mas cabe recurso à decisão. Sentenças anteriores a favor do bloqueio de sites considerados ofensivos no Egito não foram aplicadas.

O filme desencadeou protestos em setembro do ano passado, que se espalharam para mais de 20 países, incluindo o Egito. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
EgitobloqueioYouTube

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.