Yushchenko defende ampla coalizão "laranja"

O presidente da Ucrânia, Viktor Yushchenko, defendeu neste domingo a criação de uma ampla coalizão de todas as forças políticas que protagonizaram a chamada "Revolução Laranja" que marcou a abertura democrática do país. "Amanhã mesmo eu iniciarei consultas com todas as forças democráticas para criar uma ampla coalizão ´laranja´", declarou Yushchenko ao chegar para votar nas eleições parlamentares, que têm como favorito o opositor e pró-russo "Partido das regiões", mas sem maioria suficiente para formar o governo. A principal aliada de Yushchenko durante a revolução e sua primeira chefe de Governo, Yulia Timoshenko, que votou em Dniepropetrovsk, também deu a entender a possibilidade de uma aliança, ao afirmar que "a Ucrânia tem uma oportunidade de criar um governo maravilhoso". O bloco de Timoshenko, que foi destituída como primeira-ministra após uma série de denúncias de corrupção, apresenta-se como terceira força para o futuro Parlamento unicameral. Yushchenko, que apareceu para votar com uma simbólica gravata cor laranja e acompanhado de seus cinco filhos e esposa, não escondeu seu otimismo, ao afirmar que seus ânimos "são os que antecedem a vitória". "Hoje, vivemos um acontecimento muito importante, as primeiras eleições limpas e democráticas da história do país", afirmou, e acrescentou que as autoridades fizeram o possível para que assim fosse", em alusão ao 1 bilhão de grivnas (US$ 200 milhões) investidos neste pleito. O presidente lembrou as eleições anteriores, que terminaram na campanha contra a fraude eleitoral que desembocou na "Revolução Laranja" e quando "o importante não era como votava o povo, mas como seus votos eram contados". Mas a Ucrânia deixou bem claro que não viverá de acordo com aqueles princípios", destacou.

Agencia Estado,

26 Março 2006 | 10h35

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.