Zardari ganha apoio em eleições do Senado no Paquistão

O partido governista paquistanês Povo do Paquistão (PPP) fortaleceu sua posição nas eleições para o Senado, fornecendo suporte para o governo do presidente Asif Ali Zardari afetado pela crise, mostraram resultados preliminares divulgados neste sábado. A votação foi realizada na sexta-feira para 45 das 104 cadeiras da Câmara Alta eleita indiretamente.

AE, Agência Estado

03 de março de 2012 | 15h38

O PPP conquistou 19 cadeiras, aumentando sua maioria para 41, o que dá um suporte muito importante para o enfraquecido governo de Zardari, de acordo com resultados não oficiais. O governo de Zardari mergulhou em uma crise em razão de uma série de escândalos e muitos acreditam que eleições antecipadas serão realizadas em alguns meses no país, que está na linha de frente da violência da Al-Qaeda e do Taleban.

Zardari entrou em conflito com o poderoso exército paquistanês devido a um vazamento de um memorando, sugerindo que ele procurou ajuda dos EUA para evitar um temido golpe militar após a morte de Osama bin Laden pelas forças norte-americanas no Paquistão.

A pressão sobre o governo aumentou no mês passado, quando a mais alta corte do país acusou o primeiro-ministro, Yousuf Raza Gilani, de desacato, o que ele negou.

Nas eleições, o partido muçulmano League-Nawaz (PML-N) do principal líder opositor Nawaz Sharif conquistou oito novo senadores, que são eleitos por legisladores regionais. Quatro cadeiras foram obtidas pelo partido Movimento Muttahida Quami (MQM). Já o partido Awami National (ANP), que comanda a província Khyber Pakhtunkhwa na fronteira do Paquistão com o Afeganistão, conquistou seis cadeiras, enquanto as vagas remanescentes foram partilhadas por partidos regionais e religiosos menores.

Os resultados das eleições serão confirmados na próxima semana. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Paquistãoeleiçãosenado

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.