Zelaya chega ao Chile em busca de apoio do governo

O presidente deposto de Honduras, Manuel Zelaya, chegou hoje a Santiago do Chile em busca de apoio do governo local. A visita coincidiu com novos protestos em Honduras pelo imediato retorno do líder. Zelaya, trajando seu costumeiro chapéu de caubói, encontrou-se com a presidente chilena, Michelle Bachelet, no Palácio La Moneda. "O Chile é um país que sofreu uma ditadura e sabe o que é viver com assassinos e terrorismo. Eu agradeço à presidente Bachelet e ao povo chileno por sua solidariedade", afirmou Zelaya a repórteres.

AE, Agencia Estado

13 de agosto de 2009 | 17h08

Em ocasiões anteriores, Michelle Bachelet pediu publicamente o retorno do "governo legítimo" de Honduras ao poder. "Nós agradecemos o trabalho da Organização dos Estados Americanos (OEA) para uma solução e esperamos que o sr. Zelaya seja reinstalado em breve", afirmou a líder. Ontem o ministro de Relações Exteriores chileno, Mariano Fernandez, viajou para Washington para se encontrar com o secretário-geral da OEA, o chileno José Miguel Insulza, e com autoridades norte-americanas para discutir a situação em Honduras.

A OEA tenta negociar uma solução para a crise, iniciada com a derrubada de Zelaya por militares hondurenhos, em um golpe apoiado pelo Judiciário e pelo Parlamento, em 28 de junho. As esperanças pela solução mediada diminuíram, após o governo do presidente interino Roberto Micheletti rejeitar propostas que teriam permitido a Zelaya retornar ao poder até o fim do mandato, em janeiro de 2010. Zelaya já tentou voltar à capital hondurenha, Tegucigalpa, por avião e por terra. Foi impedido, porém, por militares em um aeroporto e na fronteira sul com a Nicarágua. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
HondurasgolpeChileZelaya

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.