Zelaya deixa Embaixada do Brasil em Honduras

O presidente deposto de Honduras, José Manuel Zelaya, deixou, no início desta noite, a Embaixada do Brasil na capital hondurenha e segue para o aeroporto, onde embarcará para Santo Domingo, República Dominicana. Zelaya estava na embaixada desde 21 de setembro, quando retornou secretamente ao país após ser expulso por um golpe militar.

AE, Agencia Estado

27 de janeiro de 2010 | 19h31

Este mês, o Congresso do país aprovou um decreto que anistia Zelaya e os demais envolvidos nos acontecimentos relacionados ao golpe de Estado. O presidente eleito, Porfirio Lobo, contou com o apoio decisivo de seu Partido Nacional para que a proposta fosse aprovada.

Histórico

Zelaya foi destituído em 28 de junho do cargo por militares em cumprimento a uma ordem da Suprema Corte do país. A ação foi uma resposta à insistência de Zelaya em realizar um plebiscito para mudar a Constituição e permitir sua candidatura à reeleição. Zelaya foi preso em casa e levado a uma base aérea, de onde embarcou para a Costa Rica.

Os deputados de Honduras nomearam Roberto Micheletti, líder do Congresso, como novo presidente do país. Foi o primeiro golpe de Estado na América Central desde 1993, quando militares guatemaltecos derrubaram o presidente Jorge Serrano.

Mesmo com a pressão de países e entidades internacionais, como a Organização dos Estados Americanos (OEA), o governo de facto hondurenho recusou restituir Zelaya ao cargo. O presidente deposto, então, retornou secretamente a Tegucigalpa no dia 21 de setembro e se refugiou na Embaixada do Brasil.

Tudo o que sabemos sobre:
HondurasManuel Zelayaembaixada

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.