Zelaya vai coordenar movimento de resistência em Honduras

Proposta foi aceita após assembleia promovida por uma frente de resistência popular

Efe,

13 de julho de 2010 | 05h29

TEGUCIGALPA- O ex-presidente de Honduras Manuel Zelaya disse na segunda-feira, 12, que aceitou uma proposta para coordenar a Frente Nacional de Resistência Popular (FNRP), após assembleia do movimento no sábado passado.

Em carta enviada por e-mail da República Dominicana, onde reside desde 27 de janeiro, Zelaya disse que só deseja "uma trincheira de luta a par do povo".

"Receberei com gosto os ataques do inimigo até vê-lo cair derrotado e vencê-lo", acrescenta a carta de Zelaya, que foi derrubado em 28 de junho de 2009.

A assembleia do FNRP no sábado passado aconteceu em Tocoa, região caribenha, com a participação de representantes de diversos setores populares dos 18 departamentos do país.

Carlos Reyes, um dos membros do diretório provisório escolhido, integrado por 16 membros, com Zelaya à frente, disse à agência Efe que o ex-presidente "pode fazer um bom trabalho" e que "é importante que tenha aceitado um cargo no Comitê Executivo do FNRP".

Zelaya, que foi derrubado quando promovia uma consulta popular orientada a reformar a Constituição,apesar de ter um impedimento legal, se voltou a definir como "um democrata por causas justas, humanas e pacíficas".

Tudo o que sabemos sobre:
Zelaya, resistência, Honduras

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.