Zemin fala em negociar com Taiwan, mas mantém discurso duro

O presidente chinês, Jiang Zemin, abriu, no início da madrugada desta sexta-feira (horário de Brasília), o 16º Congresso do Partido Comunista (PCC) com um discurso no qual enfatizou que o país deve recuperar Taiwan e combater a corrupção mantendo como ideologia os princípios do Marxismo e de Mao Tsé-tung. Diante de mais de 2 mil delegados reunidos no Palácio de Pequim, Zemin deixou claro que a China deve ser uma só. ?Preservar o princípio de uma única China é a base para o desenvolvimento das relações entre ambos (Taiwan e China), o que resultará em uma reunificação pacífica. No mundo há uma só China, que pertence tanto à parte continental como a Taiwan?.Zemin aproveitou o tema para falar diretamente aos separatistas taiuoneses. ?É inadmissível o rompimento da soberania e da integridade territorial da China. Combateremos fortemente todas as ações que têm como objetivo declarar a independência de Taiwan e fabricar duas Chinas ou uma China e um Taiwan. O destino de Taiwan depende de sua reunificação com a pátria?, disparou Zemin.Ao mesmo tempo, o líder chinês, que deve deixar a secretaria do Partido Comunista no fim do Congresso, no próximo dia 14, renovou sua esperança de reabrir o diálogo com Taiwan para resolver uma disputa que dura 53 anos. ?Vamos deixar de lado as disputas políticas e retornarmos o diálogo e as negociações o mais breve possível?.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.