Zimbábue ameaça expulsar embaixadores do Ocidente

O criticado governo do Zimbábue intimidou e ameaçou expulsar embaixadores ocidentais considerados aliados de um movimento da oposição que tenta tirar do poder o presidente Robert Mugabe. O líder da Mudança Democrática (MDC), Morgan Tsvangirai, e dezenas de outros ativistas do grupo dizem que foram duramente agredidos pela polícia após terem sido presos por terem desrespeitado uma proibição a manifestações. O ministro de Relações Exteriores, Simbarashe Mumbengegwi, disse à televisão estatal do Zimbábue (ZTV) que havia avisado aos enviados credenciados em Harare que o governo de Mugabe não vai hesitar em expulsar quem apoiar a oposição. "Eu chamei os embaixadores e disse a eles que o Zimbábue não vai autorizar nenhuma interferência em suas relações internas e que aqueles que continuarem financiando e apoiando este programa serão expulsos", disse ele durante boletim da ZTV no idioma local Shona. Mumbengegwi não identificou nenhum embaixador ou país, mas durante a última semana, Mugabe e seus partidários acusaram Inglaterra, ex-colonizadora do país africano, Estados Unidos, Austrália e Suécia de patrocinaram uma nova campanha do Movimento pela Mudança Democrática (MDC) para abalar o poder através de manifestações nas ruas. Imagens dos rostos machucados despertaram uma série de críticas internacionais ao governo de Mugabe, que atualmente vive sua pior crise econômica em décadas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.