Zimbábue é um ´Titanic afundando´, diz presidente da Zâmbia

O presidente da Zâmbia, Levy Mwanawasa, considera que o Zimbábue é como um Titanic afundando devido à atual crise que o país vive por causa da repressão empreendida pelo governo de Robert Mugabe, no poder do país desde 1980.O chefe de Estado da Zâmbia disse que o vizinho Zimbábue "seafundou em dificuldades econômicas" e que "é como quando o Titanic afundava e seus passageiros saltavam dele em uma tentativa de salvar suas vidas".As críticas ao regime de Mugabe, de 83 anos, acusam o presidente de repressão e corrupção além de o incriminarem pela falta de comida e pela alta inflação do país, considerada a maior do mundo.Segundo a rede pública sul-africana SABC, Mwanawasa fez taisdeclarações como parte de uma visita oficial à Namíbia, que começou nesta terça-feira, 21.Além disso, Mwanawasa pediu à Comunidade para o Desenvolvimento da África Austral (SADC, sigla em inglês) "a buscar soluções para a atual situação de crise econômica e instabilidade política".Nesse sentido, o presidente da Zâmbia reconheceu também que aSADC falhou na hora de negociar com Mugabe, que preside o Zimbábue com mão-de-ferro desde sua independência, em 1980."A diplomacia não funcionou na hora de ajudar a solucionar osproblemas e o caos que o Zimbábue vive", acrescentou Mwanawasa.As declarações de Mwanawasa se unem a outros comentáriosparecidos feitos por líderes regionais desde que militantes edirigentes da oposição foram detidos e alguns deles torturados nodia 11 de março na capital zimbabuana.O chefe de Estado de Gana e presidente rotativo da UniãoAfricana, John Kufuor, disse em Londres que o continente estava"envergonhado com a ações de Mugabe" e lembrou "a necessidade de ser escrupuloso com o respeito aos direitos humanos e aos princípios democráticos do Zimbábue".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.