Zimbábue pode entrar em colapso, diz líder sul-africano

O presidente da África do Sul, Kgalema Motlanthe, advertiu hoje que a situação no vizinho Zimbábue "pode implodir e entrar em colapso" a qualquer momento, e anunciou uma nova rodada de negociações para resolver a crise. Os comentários, os mais fortes feitos pela África do Sul até o momento, ocorrem em meio a um agravamento da crise política, econômica e social no Zimbábue, com uma epidemia de cólera que já matou centenas de pessoas e atravessou a fronteira até a África do Sul. Funcionários sul-africanos dizem que o colapso econômico e político zimbabuano provocou a epidemia.O presidente sul-africano e o líder do maior partido político da África do Sul, o Congresso Nacional Africano (ANC, na sigla em inglês), Jacob Zuma, expressaram hoje preocupação com a situação no Zimbábue. O país tem uma população estimada de 12,8 milhões de habitantes, dos quais 5 milhões estão passando fome, de acordo com a Organização das Nações Unidas (ONU).O Zimbábue está em impasse político desde março, quando o líder da oposição, Morgan Tsvangirai, venceu o primeiro turno das eleições. O presidente Robert Mugabe, que está no poder desde 1980, proclamou a vitória no segundo turno em junho, após Tsvangirai abandonar o pleito, pressionado por reações violentas contra seus defensores.No final de semana, uma missão humanitária chefiada pelo ex-presidente dos Estados Unidos, Jimmy Carter, pela advogada moçambicana defensora dos direitos humanos das crianças, Graça Machel, e pelo ex-secretário-geral da Nações Unidas, Kofi Annan, foi barrada e não pôde entrar no Zimbábue. A missão voltou à África do Sul, onde comunicou os líderes sul-africanos sobre a situação no país vizinho.Carter disse que a crise no Zimbábue parece ser "muito pior" do que haviam imaginado. Motlanthe disse hoje que as negociações políticas entre governo e oposição no Zimbábue serão retomadas amanhã, na África do Sul, e serão mediadas pelo ex-presidente sul-africano Thabo Mbeki.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.