Zimbábue: vice teria conspirado para tentar matar líder

A vice-presidente do Zimbábue, Joice Mujuru, pode estar relacionada a um suposto plano para assassinar o líder do país, Robert Mugabe, de 90 anos, informou um jornal oficial neste domingo. Mujuru já foi considerada a possível sucessora do presidente, que governa a nação desde a sua independência em 1980.

Estadão Conteúdo

16 de novembro de 2014 | 12h12

Um porta-voz do partido do governo acusado de conspirar pela morte de Mugabe afirma que as alegações sobre a tentativa de homicídio são falsas. Rugare Gumbo, que foi removido do cargo, foi identificado pelo jornal Sunday Mail como o conspirador responsável pelo plano de assassinato.

A reportagem cita gravações e comentários de fontes como evidência do suposto plano, mas não atribuiu nenhuma das informações a autoridades.

"Nós fomos acusados de tentar derrubar o presidente e foi ele mesmo quem fez as acusações", afirmou Gumbo ao jornal. "Ele diz que fizemos coisas erradas e devemos deixar o partido, mas isso é apenas uma campanha para eliminar as pessoas que estão apoiando a vice-presidente".

Facções políticas estão realizando manobras para ganhar influência antes do congresso anual do partido governista no próximo mês. Uma das figuras que vem ganhando destaque é a esposa de Mugabe, Grace. Ela tem criticado abertamente Mujuru e tem irritado membros do partido, que acreditam que ela não possui as credenciais de liderança para governar um país com alta taxa de desemprego e outros problemas sociais.

Outro suposto conspirador é Didymus Mutasa, um político importante no partido. Fonte: Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.