Arquivo/AP
Arquivo/AP

Zuma diz que saúde de Mandela melhorou, mas continua crítica

Filha do líder antiapartheid diz que pai 'não parece bem' embora responda a comandos físicos

O Estado de S. Paulo,

27 de junho de 2013 | 10h10

JOHANESBURGO - O presidente da África do Sul, Jacob Zuma, disse nesta quinta-feira, 27, que a saúde de Nelson Mandela melhorou durante a noite, que ele permanece em estado crítico, porém estável. "Ele está muito melhor hoje do que quando eu o vi na noite passada. Os médicos continuam a fazer um excelente trabalho", disse Zuma em comunicado.

Apesar disso, familiares de Mandela visitaram nesta quinta-feira o hospital em Pretória, onde ele está internado, e vizinhos de sua cidade natal se preparavam para a morte do ex-presidente, indicando que a vida o homem que representa a luta contra o apartheid está por um fio.

"Sim, a situação de tata é crítica...ele não parece bem", disse a filha mais velha de Madiba - como é carinhosamente conhecido no país -, Pumla Makaziwe Mandela, em entrevista na quinta-feira à televisão sul-africana, referindo-se a ele pelo termo usado em respeito a uma pessoa mais velha.

"Mas eu acho que nós, filhos e netos, ainda temos esperança porque quando conversamos com ele, ele se agita, tenta abrir e abre os olhos. Quando o tocamos, ele ainda responde", disse ela.

Mais cedo, a neta do ex-presidente também havia citado a pequena melhora no quadro clínico do avô, descrevendo a situação como crítica, mas estável.

Ndileka Mandela esteve no hospital e, junto com outros familiares, guardou flores e mensagens deixadas por sul-africanos do lado de fora do edifício.

Na noite de quarta-feira, o presidente Jacob Zuma cancelou sua participação numa conferência sobre investimentos em infraestrutura no vizinho Moçambique, após conversar com os médicos que cuidam de Mandela. O ex-presidente foi hospitalizado em 8 de junho para tratar de uma infecção pulmonar.

Dezenas de jornalistas e veículos de reportagem estão do lado de fora do Hospital do Coração Mediclinic, em Pretória, e acompanham cada familiar e autoridade governamental que visita Mandela.

Na cidade natal de Mandela, Qunu, os vizinhos de Mandela se preparam para o inevitável. "Estou muito triste pelo fato de ele estar no hospital", declarou Kekana Mangqwambi, enquanto estava sentado do lado de fora da cabana de seu filho, na manhã desta quinta-feira. "Nelson costumava me chamar até a casa dele e conversávamos."

No interior de um vasto complexo, um grupo trabalhava num terreno elevado, onde os moradores acreditam que Mandela será enterrado.

Autoridades sul-africanas disseram que o estado de saúde de Mandela não vai alterar a programação da visita do presidente dos EUA, Barack Obama, à África do Sul neste final de semana. / DOW JONES e AP

Mais conteúdo sobre:
África do SulNelson Mandela

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.