Marie Tomanova for The New York Times
Marie Tomanova for The New York Times
Rachel Strugatz, The New York Times - Life/Style

21 de janeiro de 2022 | 05h00

Sarah Weingartz, de 18 anos, tornou-se expert em maquiagem durante o último ano do ensino médio. Ela passava os dias em aula via Zoom e no emprego de meio período no McDonald's e à noite, conversava com duas colegas de classe por FaceTime, geralmente por volta da meia-noite, passava um monte de sombra e batom, limpava tudo e ia dormir.

Durante a maior parte do lockdown, Weingartz, que nunca havia usado maquiagem antes da pandemia, fez um estoque de lápis, pó e paletas vibrantes. Estudou as técnicas para fazer o olho de gato de Kall Me Kris, também conhecida como Kris Collins, a TikToker canadense com mais de 40 milhões de seguidores, e testou sombra azul e delineador, agora itens básicos em sua crescente coleção de maquiagem. "Comecei com uma asinha básica e fui deixando tudo cada vez mais sofisticado. Depois do delineador, foi tudo muito fácil."

Agora ela desenha uma asa exagerada que se estende além do canto externo do olho e usa um delineador branco na pálpebra inferior para ressaltar os olhos. Quando tem vontade, aplica uma sombra vermelha ou azul.

A nova maneira de usar maquiagem é isso. Depois de anos romantizando a "maquiagem sem maquiagem", uma tendência de produtos que dão a ilusão de um rosto "nu" (mas perfeito), as pessoas estão optando pela autoexpressão enquanto avaliam a própria aparência em um mundo pós-lockdown. Muitos voltaram a se socializar, a sair para comer, a tirar férias, a ir ao escritório e à eventos e, em breve, às festas de fim de ano, e estão sedentos por maneiras de expressar a individualidade.

"Há um grande choque de tendências culturais que estão afetando a reinvenção da maquiagem, que incluem os lockdowns, as mídias sociais, a Geração Z e os compradores muito mais exigentes. As pessoas odeiam quando alguém diz a elas que 'essa é a tendência'", comentou Sam Cheow, chefe global de inovação em maquiagem, portfólio e desenvolvimento de produtos da Estée Lauder Cos.

É por isso que a pandemia desencadeou um renascimento da maquiagem em termos de como a aplicamos, dos produtos e das cores que usamos e de nossas atitudes em relação à beleza. A maquiagem moderna deve refletir o que está acontecendo por dentro; não se trata de ficar sexy ou parecer que não está usando nada - ela é colorida, expressiva, imperfeita e feita para ser vista.

De acordo com o 1010data, que analisa os hábitos do consumidor, as vendas on-line de maquiagem nos Estados Unidos (somando as categorias lábios, olhos e rosto) aumentaram 29 por cento em 2021, em comparação a 2019. "As pessoas estão percebendo que a maquiagem é uma forma de celebrar a feminilidade e a personalidade. Isso finalmente está acontecendo", observou Violette Serrat, maquiadora e fundadora da Violette_Fr.

Então, como será a maquiagem e como vamos usá-la?

'Girl Gaze'

Depois de anos aperfeiçoando uma maquiagem imperceptível, surge um tipo projetado para ocultar, contornar e destacar, algo totalmente novo. Não é um visual pesado e complicado que requer uma paleta de sombras com 35 tons e um tutorial do YouTube de meia hora. Nem é o tipo de maquiagem que, como a feita para modelar, não é para ser vista, mas que discretamente reorganiza seu corpo em algo mais palatável para os homens.

"Um look 'sem maquiagem' indica que você está tentando esconder algo", disse Maria Salcedo, vice-presidente sênior de merchandising da Ulta Beauty. A marca está, aos poucos, deixando de usar esse termo.

Aí entra a maquiagem "girl gaze": expressiva, mas de aplicação simples e, o mais importante, possível de ser usada. Uma única camada de sombra rosa metálica sobre as pálpebras ou uma "tinta" azul usada como delineador não requer muito tempo (ou habilidade).

Não é algo revolucionário, mas é uma evolução quando comparada a era do blush meticulosamente rosa. Adolescentes e millennials com mais brilho no rosto ainda querem ter uma aparência mais reluzente, mas com sombra líquida amarelo-ouro cintilante. A pele real está na moda; a era da base que cobre o rosto todo e o delineia - que ocorreu mais ou menos de 2015 e 2019 - acabou.

Doniella Davy, designer de maquiagem da série Euphoria da HBO, acredita que a maquiagem precisa ser algo que você deve usar para você e não porque sente a pressão de delinear seu nariz ou as bochechas para dar a ilusão de uma estrutura óssea perfeita (embora isso também esteja certíssimo). Ela encoraja as pessoas a pensar sobre uma maquiagem menos "corretiva". "Há um mundo em que se pode usar uma sombra rosa e não usar o corretivo", completou.

'Hora de ser vista'

Rímel, delineador, intensificador de sobrancelha, cílios postiços e sombra para os olhos são um ponto forte da beleza. Os olhos são a única parte visível do rosto quando se está de máscara, e o elemento que dá maior expressão e permite a criatividade.

"Temos uma necessidade interna de exibir alguma parte de nosso corpo. Talvez não queiramos usar um salto de sete centímetros, mas passamos uma sombra azul", comentou Shireen Jiwan, fundadora e CEO da Sleuth Brand Consulting.

No geral, as vendas on-line de maquiagem para os olhos cresceram 47 por cento nos Estados Unidos em 2021 quando comparadas a 2019, de acordo com a 1010data. Isso é mais do que o dobro do aumento registrado nas categorias lábio ou rosto no mesmo período.

Os termos de pesquisa também refletem a tendência. Houve uma análise dos principais termos que geraram compras de produtos de beleza na Amazon. No ano passado, "sabonete líquido para o rosto" e "xampu" foram os itens mais pesquisados. Agora, "rímel" e "esmalte em gel" são o 1º e 2º termos que geraram compras de produtos de beleza.

"Agora é a hora de ser vista", afirmou Tereza Kurbasa, de 41 anos, assistente administrativa em Melbourne, na Austrália. "Todo mundo vai enlouquecer". Ela comemorou o fim do sexto lockdown de Melbourne com uma sombra cintilante e um almoço com amigos, sua primeira vez em um restaurante em meses.

Raynell Steward, fundadora e executiva-chefe da Crayon Case, uma linha de maquiagem inspirada em material escolar, vê a demanda por sombras mais ousadas. "Pessoas que nunca gostaram de cores as usam agora", acrescentando ter tido dificuldades para manter em estoque a paleta Box of Crayons de 18 tons e o "bloquinho de anotação" com sombra para os olhos, especialmente o verde. "As paletas nude não estão vendendo."

As novas pálpebras azuis e monocromáticas

Os especialistas da indústria da beleza dizem que os recursos complicados para os olhos - sombras exageradas com sobrancelhas que parecem ter sido desenhadas com um lápis - estão caindo em desuso.

Serrat sugere uma única camada de cor sobre a pálpebra (azul é sua cor preferida), aplicada com um pincel ou com o dedo. Dependendo do seu humor, o resultado pode ser intenso e opaco, leve como uma aquarela ou algo intermediário.

Ao usar o Yeux Paint da Violette_Fr, a cor líquida para os olhos que funciona como um delineador, você pode passar na pálpebra e misturar a seu gosto ou pintar uma linha grossa ao longo da linha dos cílios (asa opcional) com um aplicador muito fácil de usar. Um azul "cintilante" é a cor mais popular, observou Serrat. (Ela achou que seria o bege.) Dois novos tons foram lançados no fim de outubro: um azul marinho forte e um amarelo ouro ácido.

Não deixe que a sombra azul remeta à moda ruim do cabelo fosco e da franja espetada estilo Madonna na década de 1980. O novo azul não é berrante. "Caso você esteja usando uma sombra azul, mas seu cabelo não tenha um penteado elaborado, se sua pele estiver pouco coberta e houver pouco brilho, você ainda se parece com você", frisou Serrat.

Na MAC Cosmetics, as pálpebras amarelas estão em alta. Em alguns lugares, as vendas de sombra amarela triplicaram ou quadruplicaram, analisou Drew Elliott, diretor de criação global da empresa. Segundo ele, isso é resultado de conteúdo e da campanha "Yes to Yellow" (Sim ao Amarelo) que começou em meados do primeiro semestre deste ano.

E a pele? "Esse consumidor mais jovem sabe que a pele tem textura. Ele aceita isso e quer mostrá-la", disse Eden Palmer, vice-presidente de marca global da Morphe. É um sentimento compartilhado por toda a indústria. Em marcas e lojas como Morphe, Nars, Sephora e Ulta, os clientes estão optando por hidratantes coloridos ou tonalizantes para a pele em vez de base completa - para combinar com um visual de olhos destacados, é claro. "As pessoas estão ansiosas para mostrar o rosto novamente. A única diferença é que o estão mostrando de uma maneira diferente do que faziam antes", completou Jiwan.

The New York Times Licensing Group - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito do The New York Times

A modelo Hop em Nova York, em 17 de novembro de 2021. ()

A modelo Lexi em Nova York, em 17 de novembro de 2021. (Marie Tomanova for The New York Times)

Tudo o que sabemos sobre:
maquiagemTikTok

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.