SIE/GWC/Leibniz-IZW/NCNP
SIE/GWC/Leibniz-IZW/NCNP

Espécie é encontrada por cientistas em floresta que sofre com caça ilegal

Caçadores forneceram a indicação a respeito dos esconderijos dos chevrotains

Elizabeth Preston, The New York Times

25 de novembro de 2019 | 06h00

O comércio ilegal de animas selvagens no Vietnã esvaziou algumas florestas de maneira tão dramática que os cientistas consideram o resultado “a síndrome da floresta vazia”, onde quase nenhum animal canta ou se arrasta pelo chão ou se movimenta pelos galhos das árvores. “Ao nosso redor, há toda uma maravilhosa e vibrante floresta tropical, mas sem um animal”, disse Andrew Tilker, cientista da Global Wildlife Conservation que faz doutorado no Leibniz Institute for Zoo and Wildlife Research em Berlim. “É uma sensação esquisita”.

Neste vazio, Tilker e uma equipe de pesquisadores começaram a procurar um pequeno mamífero semelhante a um veado, chamado chevrotain, pequena cabra de dorso prateado, que os cientistas não viam há cerca de 30 anos. Mas a equipe informou recentemente na revista Nature & Evolution, que existe um último bolsão de floresta onde o mamífero vive e bem.

A Global Wildlife Conservation visa apresentar espécies consideradas “perdidas” para a ciência, mas não necessariamente extintas. Os cientistas registraram cinco espécies de chevrotains de dorso prateado. Todas delas já estavam mortas. As primeiras quatro apareceram em 1910, e a última em 1990.

Em março de 2017, a equipe de pesquisadores se pôs a caminho para achar o animal. Ela se concentrou na floresta seca do litoral sul do Vietnã, perto de onde apareceram as primeiras espécies. Em seguida, os membros vietnamitas da equipe entrevistaram moradores locais para saber se haviam visto alguns chevrotains de dorso prateado na floresta. A pergunta é delicada, disse Tilker, porque a caça com armadilhas de arame que esvaziou a floresta é ilegal.

Todas as pessoas entrevistadas afirmaram que as populações de chevrotains despencaram por causa da caça. Mas pelo menos nove dos 35 entrevistados falaram que viram um chevrotain de dorso prateado. Um deles acompanhou os pesquisadores na floresta e mostrou o local exato.

Com a ajuda desta informação, a equipe instalou várias armadilhas com câmeras, ou câmeras ativadas pelo movimento que fazem uma série de fotos sempre que alguém se movimenta nas proximidades. Meses mais tarde, os pesquisadores buscaram as câmeras. Todas as fotos mostraram o chevrotain de dia, em geral sozinho. As câmeras captaram a espécie em 208 ocasiões diferentes, nas primeiras fotografias conhecidas do animal vivo.

O chevrotain de dorso prateado é uma das muitas espécies que só existem nas Montanhas Anamitas do Vietnã e do Laos. Aprender mais sobre estas espécies é importante para atrair a atenção e os recursos para estas florestas ameaçadas. Mas alguns temem que as fotos sejam excessivamente reveladoras. Embora os cientistas tenham ocultado a localização exata do chevrotain, Diana Bell, professora de biologia do conservacionismo na Universidade de East Anglia, teme que, com a publicidade, aumente a demanda dos caçadores pelo animal.

Tilker concordou que a caça é o perigo mais iminente para o chevrotain de dorso prateado. Mas saber onde os animais se escondem é um passo importante para mantê-los vivos. “Enquanto não encontrarmos a espécie e não começarmos a conhecer alguma coisa a seu respeito, não será possível fazer algum tipo de conservação”, disse Tilker. “É difícil proteger uma espécie se não sabemos se continua existindo”. / TRADUÇÃO DE ANNA CAPOVILLA

Tudo o que sabemos sobre:
animalVietnã [Ásia]

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.