Ross Mantle para The New York Times
Ross Mantle para The New York Times

Cidade americana celebra zumbis de George Romero

A iniciativa 'Romero Lives!' atrai milhares de turistas a Pittsburgh, que exibe o legado do cineasta, diretor de filmes como 'A Noite dos Mortos-Vivos' e 'Despertar dos Mortos'

Erik Piepenburg, The New York Times

22 de março de 2019 | 06h00

Em 1968, décadas antes de zumbis devastarem a paisagem americana em The Walking Dead, eles ameaçaram Pittsburgh, Pensilvânia, em A Noite dos Mortos-Vivos.

Dirigido por George Romero, o filme transformou o gênero do horror. Filmado em branco e preto com baixo orçamento, tratava-se de um filme de zumbis (mortos-vivos ameaçam uma casa cheia de desconhecidos) dotado de uma mensagem social (as tensões raciais da época são um risco sempre presente).

O espírito dos devoradores de carne humana de Romero e seus heróis imperfeitos são o que abastece a iniciativa Romero Lives!, voltada para a celebração de Romero e que atrai devotos a Pittsburgh. Vale notar que a cidade já tem dois artistas famosos entre seus filhos, Andy Warhol e August Wilson. Os organizadores estão convencidos de que Romero poderá atrair turistas interessados em cultura visitando uma cidade de colinas que tem seus charmes frequentemente ignorados.

"Pittsburgh não pode simplesmente se declarar dona dos feitos e do legado de George: deve também instruir, educar e deleitar os demais com esse patrimônio", disse o professor de cinema Adam Lowenstein, da Universidade de Pittsburgh, um dos principais coordenadores da Romero Lives!.

Nascido em Nova York, Romero rodou filmes na região de Pittsburgh por quase 50 anos antes de se mudar para Toronto, onde morreu, em 2017. Romero fez seus principais retratos de Pittsburgh em filmes como O Exército do Extermínio e Martin, com personagens que representavam a população de classe trabalhadora da cidade, e por meio de temáticas - como ganância corporativa e trauma ambiental - que agitaram a região nos Estados Unidos pós-industriais.

Romero Lives! teve início no segundo semestre do ano passado, estreando com uma série de eventos, incluindo um retiro para autores de ficção envolvendo zumbis e uma exibição comemorativa de 50.º aniversário de A Noite dos Mortos-Vivos no cinema em que o filme fez sua estreia. A Fundação George A. Romero debateu a possibilidade de criar um museu nacional dos filmes de terror em Pittsburgh. Para o prefeito Bill Peduto, Romero "é um exemplo do que Pittsburgh representa".

“Ele tinha orgulho de suas raízes em Pittsburgh e poderia ter escolhido qualquer lugar para viver, mas, em vez disso, ajudou a trazer uma indústria para cidade", comentou.

A atração imperdível é um busto de bronze de Romero no shopping Monroeville Mall, a cerca de 20 minutos de carro do cento da cidade. Criada pelo escultor local Christian Stavrakis, a obra fica no shopping onde Romero filmou seu manifesto antimaterialista Despertar dos Mortos. A outra atração principal relacionada a Romero fica em Evans City, subúrbio onde ele rodou A Noite dos Mortos-Vivos. No Cemitério de Evans City, visitantes podem caminhar entre as lápides vistas na aterrorizante cena de abertura do filme.

O legado de Romero trouxe Randy Spears de sua casa, em Ohio, até o Monroeville Mall.

"Queria que George ainda estivesse vivo", disse Spears. "Mas essa é uma ótima forma de comemorar sua obra. É o único elo que posso ter com ele além de seus filmes".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.