Emily Simms/The New York Times
Emily Simms/The New York Times
Bianca Giaever, The New York Times - Life/Style

12 de abril de 2021 | 05h00

Andrew Peterka renunciou à esperança de que um dia conseguiria ter uma barba espessa. “Minha história tem sido... apenas um estacionamento vazio em termos de barba'', disse Peterka, 41 anos. Mas preso em casa, no subúrbio de Atlanta, durante a pandemia, ele queria muito uma saída para se expressar. Sem talento para escrever ou pintar e receoso das tatuagens, sua mente se voltou para a barba.

Depois de fazer algumas pesquisas, Peterka chegou a uma publicação intitulada Patchy Beard Success Stories, num fórum chamado Jeff’s Beard Board. Nos comentários, os homens comemoravam e se cumprimentavam, usando expressões como “Cresceu!” e “Continue com a barba”.

Embora muitas áreas da internet, apesar de seus apoios idealistas, continuarem a criar "trolls" e deixar que o mau comportamento persista sem nenhum controle, os usuários do Beard Board fornecem uma contranarrativa para esses espaços dominados pelos homens com seu positivismo irrestrito.

Eles obedecem a 23 regras de participação acordadas, que incluem a não discriminação, nada de assédio e nem recomendações de Rogaine para promover o crescimento da barba.

Peterka disse que o Beard Board é diferente de qualquer outro site que visitou. Descreveu-o de uma maneira quase religiosa, um “lugar de paz”, uma “corrente espiritual” passando por ele.

“Há pessoas que são membros desde a fundação, há 20 anos”, disse Jeff Falberg, 56 anos, de Bridgeport, Connecticut, que fundou o site em 2001. Na época, ele passava três a quatro horas por dia mantendo os seus fóruns; hoje tem 10 moderadores e quatro administradores que revisam cada postagem e redigem respostas encorajadoras.

Geoff Coleman, 48 anos, um canadense de fala mansa, com uma barba grisalha espessa, é um dos administradores. Um dia típico seu começa às quatro horas da manhã, quando acorda em sua casa em Ottawa, Canadá, e passa 30 minutos lendo as novas postagens e deixando comentários otimistas. Depois de seis anos e meio no site, ele já postou mais de 20 mil respostas.

“Uma ideia equivocada é a de que a barba que você consegue aos 20 anos é a que terá o resto da vida”, disse Coleman. “Mas sua barba continuará a crescer quando você estiver entrando nos seus 40 anos”.

Outro conceito errado é que basta apenas algumas semanas para ter uma barba crescida, quando na verdade alguns folículos de pêlo levam semanas para brotarem. A Beard Board recomenda esperar 13 semanas para ver como a barba cresce e os membros estão ali para encorajá-lo enquanto você aguarda esse tempo.

Pessoas do mundo todo que aspiram ter uma barba recorrem ao site, desde adolescentes a pessoas mais velhas. Lorenzo Simonazzi, 21 anos, de Savosa, na Suíça, entrou na plataforma logo depois de terminar um relacionamento. “Senti necessidade de mudar alguma coisa em mim”, afirmou.

Um autodenominado perfeccionista, ele não sabia ao certo onde colocar a linha divisória entre o queixo e o pescoço, se devia tirar o bigode e se a barba no rosto era espessa o bastante. Agora, ele é um moderador e passa uma hora por dia conversando com as pessoas.

Lorenzo disse que os valores que aprendeu no site incluem ter paciência, oferecer feedback e estabelecer metas. “Trata-se de não manter as expectativas muito altas, valorizar o que você tem e focar nos pontos fortes”.

Embora a barba e a "estética do lenhador" tenham se tornado moda nos últimos anos, o estigma em torno dos homens que se torturam com sua aparência permanece. “Acho que foi o tempo em que os pais diziam aos filhos como fazer”, disse Coleman. “As pessoas recorrem hoje à internet”. Em sua vida cotidiana, ele não fala sobre seu envolvimento com o Beard Board. “Não sei como as pessoas reagirão ao descobrirem que sou um moderador”, disse ele rindo.

Coleman considera seu trabalho uma forma de voluntariado, ajudando os homens a se sentirem no seu melhor em cada aspecto da sua vida, desde as entrevistas de emprego aos primeiros encontros. “Quando deixam a barba crescer, eles começam a se sentir mais confiantes daquilo que são”, disse ele.

Quanto a Peterka, ele está na sua décima semana “de crescimento da barba”. Embora tenha recebido muito apoio, está começando a perceber que não vai conseguir ter a barba desejada. Mas pretende insistir um pouco mais. Mesmo que não consiga, o Beard Board ajudou-o a repensar o que considera normal.

“Tenho menos de 1m70 e sempre achei que era baixo. Mas então, percebi que, na verdade, um terço da população mede isso. Então estou dentro da média”.

“Acho que as pessoas crescem se perguntando, “Sou normal? Estou ok? Estou no caminho certo?”. Como pai, ele espera que, ao aceitar sua barba imperfeita, isso terá um impacto. “Quero que meus filhos saibam que onde você está é exatamente onde deveria estar”. / TRADUÇÃO DE TEREZINHA MARTINO

The New York Times Licensing Group - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito do The New York Times

Tudo o que sabemos sobre:
internetmoda

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.