Julien Mignot para The New York Times
Julien Mignot para The New York Times

Elton John veste Gucci em turnê de despedida

O cantor fará 300 shows pelos cinco continentes com um guarda-roupas exclusivo assinado pelo diretor de criação da grife

Elizabeth Paton, The New York Times

19 Setembro 2018 | 10h15

NICE, FRANÇA - Na sala de ginástica que fica no subsolo de uma quinta no estilo dos palácios dos anos 1920, nas colinas acima da cidade de Nice, ordenadamente apresentada por um pequeno exército de italianos em grande parte vestidos de preto, estava exposta uma brilhante cornucópia de trajes de palco, resplandecente na luz da tarde do início de setembro, na Côte d'Azur.

Em um dos trilhos estavam penduradas sobrecasacas de gorgorão de seda no estilo do século 17, com lapelas brilhantes, guarnições de pérolas ou lantejoulas douradas e enfeites bordados em 3D, inclusive gatos rosnando e motivos florais entrelaçados, com um emblema "E.J." bordado nas costas.

Em outro trilho, estavam pendurados agasalhos esportivos brilhantes. E também inúmeros quimonos e pilhas de camisas de colarinho suíças em tons pastel, juntamente com fileiras de tênis, chinelas em tons perolados e calçados escoceses com enfeites de cor néon. Em toda parte, bandejas contendo tesouros típicos do "glam rock": óculos espelhados de todos os formatos e cores; broches em forma de cardos, abacaxis, estrelas do mar e buquês enormes.

Acima de tudo, em uma sacada pintada de amarelo pálido, estava sentado o cantor, pianista e compositor britânico Elton John, 71, a quem pertencia todo aquele esplendor. Depois de vender 300 milhões de discos em uma carreira que se estendeu por cinco décadas, ele dava os últimos retoques à preparação da Farewell Yellow Brick Road, uma turnê por cinco continente e três anos de duração, com a qual encerrará suas turnês pelo exterior.

Serão 300 concertos – o primeiro dos quais foi realizado no dia 8 de setembro nos Estados Unidos – e um guarda-roupa a ser usado na viagem composto por pelo menos 20 ternos exclusivos Gucci, de autoria do diretor de criação Alessandro Michele, há muito tempo sua musa e ídolo. Será um final adequado para um homem que conhecia o poder das lantejoulas. São aproximadamente 10 mil delas.

"Veja bem, não sou um Mick Jagger, Rod Stewart ou David Bowie, andando energicamente de um lado ao outro do palco", disse Elton John, que vestia uma camiseta vermelho elétrico e óculos, traje de banho e um boné preto de beisebol, todos assinados por Gucci. "Estou sempre grudado no piano, não é mesmo? As roupas fazem parte do show que eu criei. Elas me tornaram uma figura memorável. Embora, olhando para trás, reconheça que enlouqueci por completo, principalmente nos primeiros 30 anos da minha carreira".

Agora, a criação dos filhos – Zachary, de 7 anos, e Elijoah, de 5, com seu marido David Furnish – mudou totalmente suas prioridades. A vida em viagens constantes deixou de ter o fascínio de antigamente.

Ex-diretor de criação de moda da versão britânica da revista masculina GQ, amigo e estilista de John, Jo Hambro diz que os trajes usados no palco, são "o projeto de uma paixão que começou há um ano e meio".

Haverá três trocas de roupas em cada show. A primeira, no "estilo maestro", concentrada em um fraque bordado, será para a abertura do espetáculo. Depois, ele mudará para um terno "rock 'n' roll" estampado brilhante, e finalmente, para encerrar o espetáculo, um roupão sobre um traje esportivo encerrando.

John diz que Michele o faz lembrar de outro amigo e diretor de criação, companheiro de armas, Gianni Versace, que criou os trajes para sua turnê mundial de 1992. "É o espírito aloucado de Alessandro, sua ausência de regras, a celebração da individualidade e o fato de ser um tagarela que faz com que eu o ame tanto", afirmou.

"Nunca uso tudo da mesma marca como hoje desde que Gianni morreu, em 1997", comentou, indicando com um gesto que vestia Gucci da cabeça aos pés. "Agora virou uma obsessão". Segundo ele, pode ser que haja alguns acidentes de percurso. "Mas uma coisa posso lhe garantir com certeza absoluta: não haverá nenhuma falha do guarda-roupa".

Mais conteúdo sobre:
músicaElton John

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.