Lena Mucha para The New York Times
Lena Mucha para The New York Times

Encontro Internacional de pugs conta com corrida de cães

Evento, em Berlim, tem uma pista de 45 metros e prêmios para os mais rápidos - e os mais lentos

Melissa Eddy, The New York Times

26 de outubro de 2019 | 06h00

HAMBURGO, ALEMANHA - Se Elvis tinha uma vantagem em relação aos seus concorrentes, eram suas pernas relativamente longas. O focinho relativamente alongado e o corpo esbelto também o ajudaram a percorrer a pista de 73 metros de comprimentos em pouco mais de oito segundos. Elvis se precipitou contra a linha de chegada e pulou nos braços da sua dona, Emma Pollex, de 13 anos, que correra na frente sacudindo um saquinho de guloseimas.

Recentemente, Elvis foi uma das estrelas pug, na pista para corridas de cães Hamburg N.W.R., nos arredores da cidade. Com Joschi, Campino e dezenas de outros pugs de cauda anelada, Elvis estava competindo numa corrida que se tornou uma iniciativa regular na Alemanha para acabar com a fama de preguiçosa desta raça.

É claro que, às vezes, a fama se justifica. Campino precisou de um empurrão para sair da linha de largada. Lulu, por sua vez, parou na metade do caminho para farejar, antes de disparar na direção da largada; depois se virou e foi trotando até a chegada, em tranquilos 32 segundos.

“Não é uma competição”, explicou Angelica Schmorr, a dona de Lulu. “Todos estamos aqui apenas para nos divertir”. No país que deu ao mundo o pastor alemão e o doberman pinscher, de caça, os pugs de pernas curtas, nariz amassado, chamados “Mops” na Alemanha, pareceriam fora de lugar. Mas estes animais há muito são celebrados no país por sua lealdade e temperamento de palhaço.

À medida que a sua popularidade foi crescendo, surgiram em toda a Alemanha eventos para os proprietários de pugs e os seus animais. Embora muitos destes eventos realizem “corridas”, os vencedores são bichinhos de estimação que exibem seus atributos de pugs - o que não inclui necessariamente a velocidade. Há dez anos, Thomas Zupan e sua esposa, Beate, criadores da raça pug organizaram o Encontro Internacional de pugs em Berlim, com uma corrida em uma pista de 45 metros e prêmios para os mais rápidos - e os mais lentos.

O evento atraiu participantes de toda a Europa e espectadores de toda a cidade. Mas este ano, a agência do bem-estar dos animais da prefeitura cancelou a corrida de pugs no último minuto por causa do calor extremo, embora o encontro fosse mantido. Ashley Reinhart disse que o cancelamento da corrida não fazia sentido. “Seria muito improvável que os pais de um pug pusessem em risco os seus bichinhos”, afirmou.

“Estes cachorros são como os nossos filhos”, acrescentou, sentada ao lado de uma tenda montada para proteger os seus cãezinhos do sol. “Se eles não suportassem o calor, nós saberíamos, e, como pais responsáveis, agiríamos de acordo”. No ano passado, Emma foi o pug mais festejado da Alemanha, apelidado de “Usain Bolt dos pugs”, depois de ganhar a terceira corrida consecutiva em Berlim com o tempo recorde de menos de seis segundos.

Angelica Schmorr, a dona de Lulu, disse que não se interessava pela raça, até que ficou com o pug da mãe depois que esta morreu. Isto aconteceu há seis anos. Quando o pug morreu, ela decidiu que teria de ter outro. “As pessoas não conseguem ficar indiferentes aos pugs”, afirmou. “Elas os odeiam ou os adoram - e então não pode viver sem eles”. / TRADUÇÃO DE ANNA CAPOVILLA

Tudo o que sabemos sobre:
cachorroAlemanha [Europa]

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.