Muppets Studio/Disney+ via The New York Times
Muppets Studio/Disney+ via The New York Times

É hora de conhecer os Muppets (de novo)

Nova produção da Disney traz os famosos personagens fazendo paródias de formatos de programas hoje populares na internet

Dave Itzkoff, The New York Times - Life/Style

11 de agosto de 2020 | 05h00

Nos primórdios do The Muppet Show, no fim dos anos 1970, uma visita aos Muppet Labs consistia em assistir enquanto o proprietário, Dr. Bunsen Honeydew, demonstrava suas invenções inúteis como um chapéu explosivo ou uma gravata borboleta que se autodestrói em um breve espetáculo pirotécnico, o som enlatado de uma explosão acompanhado de fumaça cenográfica.

Hoje, uma visita de volta a esses laboratórios na série Muppets Now, da Disney+, mostra Honeydew e seu agitado assistente, Beaker , usando um dispositivo caseiro chamado Infern-O-Matic para reduzir objetos do dia a dia (uma dúzia de ovos, um relógio de parede, um violão, etc.) a pilhas fumegantes de cinzas.

Se essa cena de Muppets Now parece inflamável e sem juízo, e quem sabe um pouco familiar, a intenção é mesmo essa: como explicou recentemente Leigh Slaughter, vice-presidente do Muppets Studio, ela e os colegas esperam que essa série evoque “aquela boa e velha anarquia dos Muppets, aquele caos completo”.

Ela acrescentou: “Pensamos: se eles vão abordar a ciência do mundo real, temos que queimar alguma coisa. Precisamos de explosões".

A série Muppets Now, de seis episódios, é ao mesmo tempo uma tentativa da Disney de trazer aqueles rostinhos felpudos para seu serviço de transmissão via streaming e uma paródia do conteúdo da internet. Os segmentos envolvem personagens como Miss Piggy e o Chef Sueco em rápidos quadros de comédia que imitam formatos populares na internet.

A nova série também busca reconectar os Muppets com a sensibilidade caótica que eles encarnaram na era do The Muppet Show e voltar as origens após o fracasso de outras tentativas recentes de relançar esses personagens.

“A ideia é parar de fazer tanto esforço para parecer com os demais e simplesmente ser os Muppets", disse Bill Barretta, veterano das produções dos Muppet e produtor executivo de Muppets Now. “Vamos celebrar o fato deles terem que conviver uns com os outros e deixar a maluquice tomar conta novamente.”

Quase 45 anos após a estreia, The Muppet Show (que passou originalmente na TV americana entre 1976 e 1981) continua sendo o maior sucesso da franquia. Impulsionado pela imaginação subversiva do criador dos Muppets, Jim Henson, e um pequeno grupo de roteiristas e animadores de mentalidade parecida, o programa era uma sátira aos bastidores do show business que se valia de subcelebridades convidadas e uma irreverência herdada de programas de comédia como Saturday Night Live (no qual os Muppets já tinham aparecido) e Monty Python’s Flying Circus.

A popularidade do The Muppet Show abriu caminho para sucessos no cinema como The Muppet Movie (1979), que equilibrou o caos da série de TV com um pouco de sentimentalismo, garantindo para membros do elenco original como Henson e Frank Oz um lugar cativo no coração de uma geração de espectadores.

Mas o desafio de manter a relevância dos Muppets diante do público moderno se mostrou complexo, particularmente depois de sua aquisição pela Disney em 2004 (os personagens dos Muppets criados para Vila Sésamo ainda pertencem à organização sem fins lucrativos Sesame Workshop, enquanto outros programas como Fraggle Rock pertencem à Jim Henson Co).

O filme The Muppets (2011), com roteiro de Nicholas Stoller e Jason Segel (Forgetting Sarah Marshall), foi um sucesso de público e crítica que ganhou o Oscar pela canção Man or Muppet, composta por Bret McKenzie. Mas a sequência, Muppets Most Wanted (2014), deixou a desejar e acabou interrompendo a iniciativa de retomada.

Em 2015, um programa da ABC chamado The Muppets chamou atenção pelo estilo “falso documentário”, semelhante a títulos como The Office, e um roteiro que envolvia uma separação entre Kermit  e Miss Piggy. Mas a recepção foi ruim; mudanças no elenco afetaram o resultado e a série foi cancelada após uma temporada.

Barretta, que interpreta Muppets como Rowlf, o Cão e Pepe, o Camarão, disse que a abordagem do programa “foi exagerada demais, fazendo dos personagens um estereótipo de si mesmos".

Dan Silver, vice-presidente de conteúdo original sem roteiro da Disney+, concordou que as reviravoltas na trama e o formato em série não bastariam para trazer o público de volta aos Muppets. “Às vezes, não se cria interesse questionando se Piggy e Kermit ficarão juntos", disse ele. “O importante é chegar a quadros engraçados.”

Os Muppets tiveram outros sucessos contemporâneos que pareceram indicar o caminho para o futuro, incluindo um vídeo viral de 2009 no qual interpretavam a música Bohemian Rhapsody, da banda Queen, e uma apresentação ao vivo no Hollywood Bowl (2017) e na O2 Arena (2018), em Londres.

Eric Jacobson, membro da equipe dos Muppets que atualmente interpreta Fozzie e Miss Piggy, disse que as apresentações ao vivo foram uma etapa fundamental no sentido de reconduzir a trupe para seus valores fundamentais.

“Foram experiências de muita colaboração", disse Jacobson a respeito das apresentações, que incluíram clássicos dos Muppets como Mahna Mahna e Rainbow Connection.

“Fizemos um esforço consciente de retomar as raízes dos Muppets, exacerbar suas personalidades e se entregar à brincadeira, que é o que mais toca as pessoas", acrescentou.

Para Silver, o que faz os Muppets funcionarem pode ser encontrado em algo tão rudimentar quanto as primeiras imagens de teste para a produção de The Muppet Movie, mostrando Henson e Oz caminhando pelo campo enquanto criam um diálogo entre Kermit, Miss Piggy e Fozzie, o Urso.

“Vemos Jim e Frank tentando descobrir como trazer esses personagens para o mundo real, para fora do estúdio”, disse Silver. “É tudo improvisado, e o resultado é hilário. Todos os elementos já estavam ali. O que faltava era uma apropriação atual.”

Ele disse que a ideia para a estrutura de Muppets Now também surgiu ao retomar os primórdios do programa Muppet Show, que era em parte uma sátira aos programas de comédia e variedades dos anos 1960 e 70. Nas palavras de Silver: “Se o The Muppet Show era uma subversão de Sonny and Cher e Ed Sullivan, qual seria o objeto de uma paródia desse tipo hoje? A resposta é o YouTube".

Partindo dos formatos da programação da era do streaming e preenchendo-os com seus personagens clássicos, Muppets Now nos oferece segmentos como um blog de beleza e estilo de vida apresentado por Miss Piggy; uma competição de culinária com o Chef Sueco; e um explosivo segmento de ciências nos Muppet Labs estrelado pelo Dr. Honeydew e Beaker (é claro que também temos participações de subcelebridades como Aubrey Plaza, Danny Trejo e Linda Cardellini).

A maioria dos quadros foi filmada em meados do ano passado, em meio a um processo que a equipe dos Muppet descreveu como colaborativo e aberto a uma ampla gama de contribuições.

“Quando estamos no set, há um debate entre o elenco, o produtor e o diretor", disse Matt Vogel, que interpreta Kermit, o Sapo.

“Conversamos bastante antes de começar a filmar", disse Vogel, “e mesmo durante as filmagens, os artistas dos Muppets são bons de improviso, desde que a ideia seja se manter fiel aos personagens".

Ainda assim, algumas imagens secundárias foram produzidas durante a pandemia do coronavírus. Para tanto, os artistas tiveram que gravar em casa, pedindo a silenciosa colaboração de cônjuges e filhos durante a criação.

Enquanto isso, os criadores e artistas de Muppets Now disseram que, na tentativa de reproduzir a estética improvisada da internet, tiveram a sensação de terem também encontrado algo essencial a respeito de seus personagens: são orgulhosos azarões que parecem alcançar seus melhores resultados quando os recursos são limitados.

“Os Muppets sempre viveram na base do instinto", explicou Jacobson, acrescentando que funcionam com “orçamentos primitivos e um critério de improviso que eles mesmos definem para si".

“Nosso objetivo era produzir esses segmentos como se fossem fruto do improviso total”, disse ele.

O fato de Muppets Now chegar durante um trimestre no qual o público está ávido por conteúdo original pareceu condizer com as aspirações minimalistas dos personagens que dão título ao programa, disse Jacobson.

Evocando um sentimento autodepreciativo que poderia ter saído da boca de Statler ou Waldorf, Jacobson disse rindo, “As expectativas do público em relação às novidades na TV caíram tanto que os Muppets podem ser um sucesso”. / TRADUÇÃO DE AUGUSTO CALIL

The New York Times Licensing Group - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito do The New York Times.

Tudo o que sabemos sobre:
série e seriadotelevisãoMuppets

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.