Vincent Tullo para The New York Times
Vincent Tullo para The New York Times

Espelho fitness vira sensação entre celebridades

Equipamento controlado por aplicativo oferece mais de 70 aulas de academia ao vivo por semana

Courtney Rubin, The New York Times

13 de março de 2019 | 06h00

No Natal do ano passado, a cantora Alicia Keys postou um vídeo no Instagram, em que um dos seus filhos recomendava que ela não gritasse ao abrir os presentes. Mesmo assim, Alicia dançou e gritou quando viu um elegante Mirror de 132 centímetros, retangular, instalado na parede.

Ao virá-lo, descobre-se que não é apenas uma peça decorativa, mas se transforma em um portal de ginástica, com cerca de 70 aulas de academia ao vivo por semana, que incluem boxe, dança, treinamento de alta intensidade e ioga. Os usuários podem ver o próprio corpo por inteiro e uma imagem reduzida do instrutor. O aparelho é controlado por um aplicativo, para evitar impressões digitais no reflexo.

Alicia é uma das primeiras pessoas de projeção a adotar o Mirror, que chegou ao mercado em setembro. Gwyneth Paltrow e Jennifer Aniston são clientes. Reese Witherspoon postou um vídeo para o Instagram usando o equipamento, que ministra aulas de boxe por US$ 1.495. Ellen DeGeneres referiu-se ao seu como “Espelho Mágico” no seu programa de TV.

Brynn Putnam, inventora do Mirror e bailarina do New York City Ballet que estudou em Harvard, mostrou-se impressionada com a repercussão. “Acho que eu sabia que tínhamos criado algo especial, mas não pensei que teria este tipo de resposta”. Sua companhia, com sede em Nova York, levantou US$ 38 milhões em financiamentos, e vende US$ 1 milhão de Mirror (ele tem 3,6 centímetros de espessura) ao mês. Hotéis de luxo começaram a instalar os Mirrors nas suítes.

Anteriormente, Brynn não tinha muita paciência com as inúmeras modas de ginástica. Há dez anos, quando era instrutora de vários exercícios de ginástica com barra, foi criticada por introduzir movimentos como os agachamentos, que ela considerava mais eficientes.

Criou então o Refine depois de conversar durante um ano com cientistas do esporte e treinadores de atletas profissionais sobre o que dava resultados efetivos. Mike Boyle, que tem entre os seus clientes jogadores da Liga Nacional de Futebol americano (NFL) e outros atletas de elite, disse que ela tinha razão quanto aos agachamentos.

Na época, o único estúdio que ela pôde alugar foi um espaço de 45 metros quadrados em Nova York, que devolvia à igreja, dona do local, todos os domingos para os serviços religiosos. Ela projetou então uma “cable tower” (torre de cabos para musculação) feita de polias náuticas e trilhos, usada em exercício para aumentar a força, que podia ser facilmente montada e desmontada. Mas em 2016, novamente grávida, ela descobriu um exercício que já não poderia fazer.

Quando procurou assistir aos exercícios, não conseguiu imaginar onde poderia montar o seu computador ou o telefone para poder vê-los enquanto os executava. Na época, ela também realizou uma pesquisa com os membros da Refine sobre os novos horários de aulas, treinadores e equipamentos personalizados. Virados, os espelhos que ela havia colocado no local foram a mudança preferida dos frequentadores: eles gostaram do feedback imediato.

“Quase não prestei atenção nisso”, disse. “Os espelhos eram um elemento natural para mim, porque durante toda a minha careira trabalhei na frente deles”. A assinatura mensal do Mirror custa US$ 39 e oferece quatro níveis de aulas, do iniciante ao expert, e a frequência pode ser adequada de acordo com eventuais machucados ou no caso de gravidez. Há também uma biblioteca com centenas de aulas ‘on demand’ .

O Mirror terá ainda treinamento individualizado, que começará com US$ 40 por sessão, o aparelho tem uma câmera, e uma tampa de lente objetiva, para que o usuário preserve a sua privacidade. E também exercícios preparatórios para o esporte desenvolvido para as crianças. Mais tarde, haverá ainda exercícios para esteira e bicicleta.

A companhia Mirror tem projetos ambiciosos para que o aparelho se torne a terceira tela dos usuários, depois do telefone e do computador, com capacidade para qualquer tipo de coisa, desde organizar fotos a bate-papos. Atualmente, os usuários podem fazer compras por meio do Mirror, por exemplo aparelhos de ginástica e outros favoritos dos instrutores.

Lindsey Bradley, uma atriz de Nova York, diz que os exercícios são um banho de suor como as academias butique que ela costumava frequentar. E como brinde, ela não precisa mais ficar de pé sobre uma cadeira para ter uma visão completa do seu traje em um espelho de gabinete. “Eu o utilizo como meu espelho de corpo inteiro”, ela disse. “Nem em mil anos você imaginaria que se trata de um equipamento de ginástica”.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.