Andrew Scrivani / The New York Times
Andrew Scrivani / The New York Times
Rachel Wharton, The New York Times - Life/Style

31 de março de 2021 | 05h00

No mundo exclusivo do queijo produzido em lotes pequenos, o máximo da fama que tal produto alcança é quando Tom Colicchio elogia seu queijo favorito no reality show Top Chef.

É por isso que Anne Saxelby, fundadora e coproprietária da Saxelby Cheesemongers, na cidade de Nova York, ficou tão surpresa quando seu fornecedor lhe disse que uma receita no popular aplicativo de vídeo TikTok havia gerado tanta demanda por queijo feta que ela não receberia sua cota semanal.

Saxelby e sua fabricante de feta – a Narragansett Creamery, pequena fábrica de laticínios de Rhode Island – foram varridas pelo fenômeno da receita em vídeo conhecida como massa de feta assada. É um molho de massa extremamente fácil e cremoso, assado no forno com um bloco de feta ao qual se adicionam tomates cereja, azeite de oliva, pimenta e alho.

A receita bombou pela primeira vez na Finlândia, em 2018, depois que a blogueira de culinária Jenni Hayrinen cozinhou uunifetapasta, versão finlandesa para massa feta assada no forno. (Era uma versão simplificada de um prato chamado prosecco espaguete e tomate de forno, feito por Tiiu Piret, outro blogueiro de culinária finlandês.)

Mas o prato não decolou nos Estados Unidos até que começasse a ganhar fãs empolgados no TikTok no início de janeiro. Os vídeos podem ser realizados tanto por influenciadores quanto por adolescentes sem muitos seguidores. Agora a hashtag #fetapasta tem mais de 600 milhões de visualizações, sem contar as repercussões no Instagram, no Twitter, no Facebook, entre os seguidores de Rachael Ray e nos programas de televisão Today e Good Morning America. Em meados de fevereiro, "feta" era o termo de busca número 1 no aplicativo de entrega de supermercado Instacart.

Mark Federico Jr., que dirige a Narragansett Creamery com seus pais, contou que agora a empresa está expandindo sua produção semanal de queijo feta com sal marinho para abastecer a queijaria Saxelby e mercados como o Zabar's e o Eataly.

De acordo com Walshe Birney, que supervisiona os balcões de queijos especiais da Kroger, rede americana de supermercados e proprietária da Murray's Cheese, a empresa também foi pega desprevenida. As vendas do bloco de queijo feta aumentaram, porque este, quando assado, fica mais cremoso do que os pedaços pequenos. "É o maior e o mais amplo aumento no interesse e na venda de um produto que já vi pessoalmente", escreveu Birney por e-mail.

@clarkbar.mc

#fetapasta my first TikTok! With help from @nytcooking #fyp #foryoupage #foryou #tiktokpasta @nytcooking ♬ original sound - Melissa

Embora não haja escassez de feta na Krinos Foods, a maior importadora e fabricante de produtos alimentícios gregos e mediterrâneos dos EUA, as vendas têm sido mais fortes do que de costume há meses. O presidente da Krinos, Eric Moscahlaidis, disse que a companhia conseguiu persuadir algumas lojas do Walmart e do Costco a realizar vendas experimentais de queijo feta grego original, além das versões produzidas com leite de vaca que já estavam no estoque. (Na Europa, o feta é um produto com nome protegido que deve ser feito em certas regiões da Grécia a partir do leite de ovelha e do de cabra locais.)

Mas o queijo feta não é o único alimento a receber um impulso do TikTok no mundo real. E provavelmente não será o último, dado o rápido aumento de receitas no status do TikTok, como o bolo de aveia e o frango vegano "faça você mesmo".

Saxelby também viu outro estoque de queijo se esgotar: o winnimere, depois que o vídeo de um amigo elogiando o produto obteve mais de 250 mil visualizações no TikTok em dois dias. Ela vendeu 20 embalagens inteiras em um dia – em uma semana normal são vendidas 12 – e a leiteria de Vermont que o produz, a Jasper Hill Farm, teve um pico significativo de tráfego em seu site.

Depois de meses de outra receita popular no TikTok, conhecida como tortilla-wrap hack – pegue uma tortilha grande, faça um corte do centro para fora, coloque o recheio e dobre-a em quatro partes para montar um sanduíche gigante –, a Olé Mexican Foods, na Georgia, viu um aumento nas vendas de sua tortilha para burrito. O maior crescimento foi registrado em cidades americanas que "não são os mercados tradicionais de tortilha", afirmou Enrique Botello, gerente de marketing da empresa.

No primeiro semestre do ano passado, as lojas da Target em todo o território americano repetidamente ficaram sem o suco de maçã Martinelli's, quando milhões de usuários do TikTok – incluindo a cantora Lizzo – perceberam que, quando se morde a garrafa de plástico em forma de maçã, o som é idêntico ao produzido quando se come a fruta de verdade.

A empresa californiana de 153 anos teve de aumentar sua produção para acompanhar a demanda, informou Tom Brancky, consultor de marketing: "Foi fenomenal, foi surreal. E foram principalmente crianças em idade escolar que fizeram isso."

The New York Times Licensing Group – Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito do The New York Times.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.