Jens Mortensen para The New York Times
Jens Mortensen para The New York Times

Gim se torna a segunda bebida mais popular da Grã-Bretanha

Diante de tanto sucesso, ela voltou a ser incluída à lista de produtos utilizados para medir a inflação, após 13 anos de ausência

Amie Tsang, The New York Times

28 de janeiro de 2019 | 06h00

LONDRES - Desde que os boticários europeus começaram a destilar o gim e a vendê-lo como panaceia no século 16, o licor com sabor de zimbro foi reverenciado como um remédio, demonizado por alimentar a desordem e consumido em coquetéis. Agora, está agitando um comércio turístico na pátria do ‘London dry gin’.

As vendas de gim na Grã-Bretanha alcançaram cerca de 2 bilhões de libras esterlinas, ou US$ 2,6 bilhões, até o fim do ano passado, em comparação com 1,26 bilhão no mesmo período de 2017, segundo a Wine and Spirit Trade Association. Os amantes das versões cor de rosa e flavorizadas contribuíram para torná-lo a segunda bebida alcoólica mais popular depois da vodka.

O gim hoje é tão popular na Grã-Bretanha que o Departamento Nacional de Estatística voltou a incluí-lo na cesta de produtos que mede a inflação, depois de 13 anos de ausência. Muitos produtos mais novos adotam o sabor de zimbro, mas outros se diferenciam consideravelmente do gim tradicional.

O seu renascimento deu origem ainda à compota com sabor de gim e às velas com perfume de gim, suscitando o temor de certa saturação. Consequentemente, os produtores britânicos agora procuram expandir-se no exterior.

Sam Galsworthy e Fairfax Hall decidiram abrir uma destilaria na região oeste de Londres em 2007, mas foram desestimulados pela burocracia de mais de 250 anos, que limitava a produção do licor a alambiques com a capacidade de pelo menos 1,8 mil litros.

Pressionaram então o governo para que abrandasse as restrições, e, em 2009, a sua companhia, a Sipsmith, obteve uma licença de fabricação. A medida abriu as portas a outras pequenas destilarias na Grã-Bretanha, e o seu número aumentou de 113 em 2009, para 419 em 2018. As destilarias são, hoje, uma atração turística. A Sipsmith diz que recebe cerca de 25 mil visitantes ao ano.

Ian Puddick descobriu em 2013 que o edifício em Londres onde estava a sua oficina de encanador, em outros tempos, era uma padaria que fabricava gim ilegalmente. Procurou os descendentes dos proprietários, que identificaram diversos ingredientes, e foi assim que nasceu o Old Bakery Gin.

"O gim é uma espécie de moeda social", disse Oscar Dodd, da loja de departamentos Fortnum & Mason. "As pessoas gostam de apresentá-lo aos seus amigos." As grandes fabricantes de bebidas alcoólicas estão adquirindo destilarias para capitalizar o mercado global da bebida que, segundo a empresa de pesquisas Euromonitor, cresceu de cerca de US$ 10,5 bilhões, em 2007, para US$ 15,5 bilhões, em 2017.

Novas produtoras menores de outras partes do mundo também estão entrando no mercado. A Peddlers Gin, uma marca de Xangai, firmou recentemente um acordo de distribuição internacional. E novas destilarias estão surgindo na Austrália, Liechtenstein e Estados Unidos, informou Nicholas Cook, da Gin Guild da Grã-Bretanha. O apelo do gim, ele afirmou, decorre do fato de que "é ao mesmo tempo uma bebida adulta e jovem".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.