Koen Van Weel/EPA, via Shutterstock.
Koen Van Weel/EPA, via Shutterstock.

Esqueçam Holanda. O nome oficial agora é Países Baixos

Uma campanha para renomear o país que vai além das tulipas

Mariel Padilla, The New York Times

06 de fevereiro de 2020 | 06h00

Durante dezenas de anos, o governo holandês usou as denominações Holanda (Holland) e Países Baixos (the Netherlands), indiferentemente para designar o país conhecido por seus campos de tulipas e moinhos de vento. Mas desde 1º de janeiro, todas as comunicações oficiais do governo e o material promocional passaram a usar Países Baixos (the Netherlands) como nome do país.

O governo holandês trabalhou um ano e meio em uma campanha para a mudança do nome destinada a melhorar a imagem do país diante da crescente competição internacional, disse Ingrid de Beer, uma funcionária do Ministério do Exterior. “A nossa imagem internacional esbarra em algumas dificuldades”, afirmou. A pesquisa mostrou que muitas pessoas não sabem o que são os Países Baixos ou têm uma percepção ultrapassada do país, acrescentou.

Os Países Baixos (the Netherlands) consistem de 12 províncias, duas das quais - Noord (Norte) Holland e Zuid (Sul) Holland - constituem a Holanda. Amsterdã, que é visitada por cerca de 19 milhões de viajantes anualmente, e Keukenhof, um dos maiores viveiros de flores do mundo, uma atração popular, se localizam na região da Holanda.

De certo modo, os esforços do conselho do turismo holandês para atrair visitantes foram extraordinariamente bem-sucedidos. Lutando para atender a milhões de turistas, o conselho parou de promover as suas atrações mais famosas, e preferiu procurar encorajá-los a se dirigirem para destinos menos conhecidos.

“Mais não é sempre, e certamente não é em toda parte, melhor”, disse um relatório de 2019. Até 2030, previu o relatório, os Países Baixos poderão registrar o ingresso de até 42 milhões de turistas - um número enorme para um país de 17 milhões de habitantes. A campanha de criação da marca  inclui o logotipo atualizado, um “NL” estilizado semelhante a uma tulipa laranja, segundo o Ministério do Exterior. O logotipo substitui a “tulipa Holanda”, que foi criada pelo conselho do turismo há 25 anos para promover o país.

O governo central espera usar o novo logotipo, que estreou em novembro, pelos próximos 20 anos, informou o ministério. O novo logo pode ser usado para promover os Países Baixos no exterior, por cidades, universidades, organizações esportivas, companhias, instituições culturais e organizações da sociedade civil, disse Ingrid de Beer. Os especialistas em marketing não estão convencidos da necessidade da nova marca.

Segundo Allen Adamson, um dos fundadores da empresa de criação de marcas Metaforce, a campanha é irrelevante porque, para muitas pessoas, os dois nomes são intercambiáveis, de modo que o rebranding não afetaria o seu comportamento. Segundo ele, as autoridades holandesas tentam solucionar um problema que não existe. “É difícil justificar que ‘Países Baixos’ será mais eficiente do que ‘Holanda’”,  disse Adamson. “Do ponto de vista do marketing, quanto mais curto, melhor, por isso eles estão travando uma batalha inglória”. / TRADUÇÃO DE ANNA CAPOVILLA

Tudo o que sabemos sobre:
Holanda [Europa]

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.