Michelle Groskopf/Arquivo The New York Times
Michelle Groskopf/Arquivo The New York Times

Por que os influenciadores não vão parar de participar de festas tão cedo

A Califórnia teve um grande aumento no número de casos de coronavírus neste verão, com a taxa de infecção sendo especialmente alta em Los Angeles

Taylor Lorenz, The New York Times - Life/Style

13 de agosto de 2020 | 05h00

No final de julho, dezenas de estrelas das redes sociais foram para a Hype House, uma mansão de Hollywood Hills onde vivem vários criadores de TikToks, para uma festa de aniversário. A decoração era brilhante e rosa, com balões e fitas prateadas espalhadas. Luzes piscantes com a imagem da Hello Kitty pulsavam em uma pista de dança lotada.

A cena, conforme retratada nas redes sociais, tinha um ar de normalidade pré-pandêmica. Em vários vídeos da festa, ninguém está usando máscara.

Thomas Petrou, um fundador da Hype House, disse ao The Hollywood Fix que 60-70 convidados compareceram à festa, realizada em 21 de julho para uma das residentes da casa, Larri Merritt, mas centenas de outras pessoas se aglomeraram do lado de fora, na esperança de conseguirem entrar também. Aqueles que conseguiram participar da festa são figuras conhecidas da internet: Emma Chamberlain, James Charles, Tana Mongeau, Charli e Dixie D'Amelio, Nikita Dragun, o pessoal da Sway House.

Petrou, 21 anos, disse que, para os influenciadores, esses eventos não são apenas diversão - são trabalho. “Nosso trabalho é entreter as pessoas”, disse ele em entrevista por telefone esta semana. “Vivemos com grupos de pessoas e estamos todos interligados pelo trabalho. Não podemos pausar completamente nossas vidas durante um ano e não ganhar nenhum dinheiro.”

A Califórnia, onde os casos do novo coronavírus permaneceram baixos nos primeiros meses da pandemia, teve um surto de verão. Na semana passada, tornou-se o primeiro estado a relatar meio milhão de casos, de acordo com um banco de dados mantido pelo The New York Times, e a taxa de infecção tem sido especialmente alta no condado de Los Angeles. Mesmo assim, muitos de seus jovens residentes continuam participando de festas.

O youtuber Jake Paul recentemente organizou um evento em sua casa em Calabasas, onde convidados se penduraram em máquinas de construção. As estrelas do TikTok Bryce Hall, Josh Richards e Blake Gray participaram de uma festa com dezenas de outras estrelas na Sway Gaming House na segunda à noite. Na terça-feira, os Nelk Boys, estrelas do YouTube conhecidas por seus vídeos de brincadeiras que lembram aquelas praticadas por universitários em fraternidades, publicaram imagens de uma festa no Instagram, um dia depois de terem organizado um encontro lotado para protestar contra o fechamento de academias na Califórnia.

Aparentemente, todas as noites, novos vídeos de festas surgem on-line. Canais de fofoca, que alimentam e narram as rixas e escândalos dos famosos na internet, republicam os destaques e apontam convidados importantes.

Muitos influenciadores enfrentaram críticas por postar sobre essas festas, e ainda mais por organizá-las. Depois que o youtuber Tyler Oakley publicou a festa de 21 de julho na Hype House no Twitter, Merritt postou um pedido público de desculpas pela festa de aniversário realizada em sua homenagem, admitindo que foi uma "coisa estúpida". Tana e Charles também se desculparam por comparecer ao evento.

Na quarta-feira, o prefeito de Los Angeles, Eric Garcetti, anunciou que, em resposta à recente onda de festas, ele autorizaria a cidade a desligar a energia e água de qualquer casa ou empresa que organizasse grandes festas ou aglomerações não autorizadas a partir da noite de sexta-feira.

Malik Earnest, um influencer de 25 anos de Los Angeles, participou de várias festas de influenciadores nos últimos meses. “É como se a covid-19 não existisse quando estamos nelas”, disse ele. Earnest afirmou que tenta ser responsável, mas disse que aparecer nos eventos ajudou sua carreira.

Earnest disse que as desculpas que alguns anfitriões e participantes publicaram são apaziguadoras e não um sinal de que o comportamento está mudando. “Eu vejo esses tweets, tenho visto influenciadores serem repreendidos e se desculparem, então eu os vejo em uma festa no próximo fim de semana”, disse ele. “É só para melhorar a imagem. Eles dizem o que precisam dizer no Twitter e no Instagram, mas depois vivem suas vidas.”

“Essas crianças vêm tentando ser grandes nas redes sociais há muito tempo”, disse Mai Linh Nguyen, uma produtora que trabalhou para várias estrelas do YouTube. “Agora, eles finalmente conseguiram. Eles são aqueles que se deseja convidar para a festa legal, e não mais os que tentavam conseguir o convite. Literalmente, todos na internet, mesmo que não saibam quem são pelo nome, estão falando a respeito deles.”

Dennis Feitosa, um youtuber e comediante de 20 e poucos anos que tem documentado os eventos nas redes sociais, disse que não vê as coisas desacelerando tão cedo. “Existe aquele ditado no show business: ‘Fale mal, mas fale de mim’. Muitas dessas pessoas estão seguindo essa filosofia.”

Petrou, da Hype House, disse que ele e seus colegas tentam ser responsáveis. “Fomos colocados em quarentena, todos nós, influenciadores de mídia social, saímos todos os dias”, disse ele. “Todos nós fazemos o teste regularmente e 99% de nós não voltamos para a casa das nossas famílias.”

Se influenciadores têm sido infectados com o novo coronavírus é um tópico de grande especulação. Há rumores de que quase todas as casas colaborativas do TikTok tiveram infecções, mas nenhuma confirmou qualquer caso registrado. Algumas, como a Clubhouse, proibiram festas e outras reuniões sociais. No entanto, sem supervisão permanente, cabe aos influenciadores fazer cumprir essas regras.

Empresários, agentes e publicitários tentaram falar com seus jovens clientes acerca dos potenciais riscos de seu comportamento, mas poucos conseguiram resultado.

“É um nível de responsabilidade que eles devem ter sobre si mesmos”, disse Michael Gruen, fundador da TalentX, uma empresa de gestão que representa muitos tiktokers. “É difícil dizer a jovens de 18 anos que moram em Los Angeles, longe de seus pais, que não saiam por dois anos.” / TRADUÇÃO DE ROMINA CÁCIA

The New York Times Licensing Group - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito do The New York Times

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.