Houston Cofield/The New York Times
Houston Cofield/The New York Times

Como uso de ivermectina e desinformação sobre a covid gerou uma corrida entre veterinários

Veterinários, pecuaristas e fazendeiros estão lutando com os efeitos da alta demanda por ivermectina, um vermífugo

Erin Woo, The New York Times - Life/Style, O Estado de S.Paulo

22 de outubro de 2021 | 05h00

O Emerson Animal Hospital estava com seus últimos 10 mililitros de ivermectina.

Durante meses, o centro veterinário em West Point, Mississippi, viu seu estoque da droga diminuir. A Dra. Karen Emerson, veterinária e proprietária do hospital, começou o ano com um frasco de 500 mililitros de ivermectina, que ela utiliza para matar parasitas em cães, galinhas e outros pacientes. Mas, à medida que a garrafa esvaziava e sua equipe tentava encontrar mais, conseguiram apenas um frasco de 50 mililitros. Todo mundo disse a eles: Nenhum disponível.

Então Emerson começou a racionar o remédio para dar a cobras e outros animais exóticos para os quais ela não tinha outro tratamento anti-vermes. Ela disse aos donos de cães para pagarem por um medicamento substituto mais disponível, que pode custar sete vezes mais.

Emerson ficou surpresa com a escassez de ivermectina porque sempre houve muita disponibilidade. Mas juntou dois e dois depois que as pessoas começaram a ir para sua clínica para perguntar sobre o uso da droga no tratamento da Covid-19.

“Eu realmente acho que esse é o motivo da escassez, porque muitas pessoas estão usando,” ela disse.

Por mais de um ano, a informação equivocada de que a ivermectina é eficaz no tratamento ou prevenção do coronavírus se espalhou pelas redes sociais, podcasts e programas de rádio. Mesmo que a Food and Drug Administration tenha afirmado que a droga não foi aprovada para curar covid e alertado as pessoas para não tomá-la, personalidades da mídia que lançaram dúvidas sobre as vacinas contra o coronavírus, como o podcaster Joe Rogan, promoveram a ivermectina exatamente com esse propósito.

As imprecisões levaram algumas pessoas a exagerarem na dose de certas formulações da droga, o que sobrecarregou médicos e hospitais. Mas bem no final da trilha da desinformação estão pessoas como Emerson, que regularmente utilizam o medicamento para os tratamentos de animais para os quais ele foi aprovado.

Embora certas versões da ivermectina possam tratar piolhos e outras doenças nas pessoas, outras formulações - que vêm em formas líquidas e em pasta - são comuns nas indústrias de equinos e na pecuária como formas de se livrar de vermes e parasitas. As pessoas estão tentando obter esses produtos de origem animal para repelir ou combater o coronavírus, disseram fazendeiros, pecuaristas e fornecedores.

A demanda tem afetado o mundo dos equinos e da pecuária. Jeffers, um revendedor nacional de suprimentos para animais, aumentou recentemente o preço da pasta de ivermectina de US $2,99 para US $6,99 o tubo. Sobrecarregado de pedidos, uma loja de suprimentos agropecuários em Las Vegas começou a vender o remédio apenas para clientes que pudessem comprovar que tinham um cavalo. Na Califórnia, uma pecuarista foi informada que o atraso nos pedidos era tão grande que ela foi o número 600 na fila para o próximo lote.

A escassez tem levado alguns fazendeiros, pecuaristas e veterinários a mudar para alternativas genéricas ou mais caras para seus animais. Outros recorreram à ivermectina vencida ou armazenaram discretamente a droga quando puderam. Muitos ficaram alarmados.

“Estou muito preocupado”, disse Marc Filion, proprietário da Fazenda Keegan-Filion em Walterboro, na Carolina do Sul, que utiliza a droga para seus 400 porcos e 25 cabeças de gado. Se ele não pudesse tratar seus porcos com o remédio quando eles tivessem 5 semanas de idade, ele disse, eles poderiam desenvolver diarreia e talvez precisassem ser sacrificados.

No mês passado, as prescrições por formulações humanas de ivermectina saltaram para mais de 88.000 por semana, diante de uma base pré-pandêmica de 3.600, segundo os Centros de Controle e Prevenção de Doenças. Os dados sobre pessoas que compram ivermectina animal não estavam disponíveis.

Em um comunicado, a FDA disse que não recebeu relatórios de escassez de ivermectina, mas "reconhece que o acesso à ivermectina animal é importante para pecuaristas, fazendeiros e proprietários de cavalos cuidarem de seu rebanho e da saúde animal".

No mês passado, a agência postou no Twitter que as pessoas não deveriam usar a droga para covid, escrevendo: “Sério, pessoal. Parem com isso."

A desinformação sobre a ivermectina como uma cura potencial para covid começou a se espalhar poucas semanas após o começo da pandemia. Em abril de 2020, cientistas da Universidade Monash em Melbourne, na Austrália, publicaram descobertas preliminares mostrando que o medicamento, quando usado em laboratório, poderia matar o coronavírus em 48 horas. A Universidade Monash alertou que os resultados eram preliminares e que a pesquisa estava em andamento.

 “NÃO se automediquem com ivermectina e NÃO usem ivermectina direcionada aos animais,” estava escrito em seu site.

Uma semana depois, a FDA soltou um alerta contra a utilização de formulações animais para a covid. Não adiantou. As descobertas espalharam-se rapidamente online, alimentadas por outros estudos que mostravam efeitos benéficos da droga em pacientes com coronavírus. Ao menos um estudo foi recolhido.

Desde então, informações imprecisas floresceram em sites de redes sociais como Reddit e Facebook. Em um grupo do Facebook, Ivermectina COVID-19 Testimonials, 4.200 membros trocam conselhos sobre quais efeitos colaterais podem ser esperados ao tomar a droga e como calcular as dosagens destinadas a cavalos. As discussões costumam ecoar em podcasts e em outros lugares.

O Facebook disse que removeu o conteúdo sobre potenciais transações de ivermectina, assim como qualquer alegação de que a droga é uma cura garantida. O Reddit disse que encorajou discussões abertas, desde que elas não violassem suas políticas.

À medida que a popularidade do medicamento aumentou, alguns veterinários se prepararam para a escassez. No ano passado, a Dra. Juliana Sorem, veterinária do WildCare, um centro de pesquisa urbana em San Rafael, na Califórnia, que trata animais selvagens feridos, comprou o suprimento do medicamento para dois anos. Seu diretor disse-lhe para agir assim que souberam que as pessoas estavam usando ivermectina contra a covid.

“Estávamos tentando ser proativos”, disse Sorem. A WildCare agora tem seis preciosos frascos guardados.

Outros não agiram tão rapidamente - e se arrependeram. Judi Martin, gerente do Skyline Ranch, um centro equestre em Oakland, na Califórnia, disse que seu irmão a alertou no início deste ano para estocar ivermectina depois que ele a tomou para prevenir covid. Martin disse que não o levou a sério.

Nove meses depois, o fornecedor de Martin estava sem nada. Ela disse que ele chamou a droga de “ouro líquido” e disse que ela era o número 600 na fila para o próximo lote.

Alguns distribuidores fizeram ajustes para lidar com a demanda crescente. A notícia de que a V&V Tack & Feed, uma loja de suprimentos para animais em Las Vegas, colocou uma placa dizendo que os clientes deveriam mostrar uma foto com seus cavalos para comprar ivermectina, espalhou-se rapidamente no mês passado.

“Estou guardando para o meu pessoal dos cavalos, porque eles precisam”, disse Shelly Smith, a associada da loja que colocou a placa. "É quem estou protegendo."

Ruth Jeffers, proprietária da Jeffers, revendedora de suprimentos para animais, disse que vendeu pasta de ivermectina em seu site este ano. Depois que ela reabasteceu com versões mais caras, os tubos também se esgotaram.

Então, nessa primavera, ela limitou os novos clientes a cinco tubos. Parcialmente impulsionada pela demanda, ela aumentou os preços da ivermectina da marca Jeffers, sua opção mais barata, de US $2,99 para US $4,99 por tubo - e depois para US $6,99.

“É difícil ver seu produto número 1 virando um circo”, disse Jeffers.

No Horsey Haven Retirement Home em Newcastle, na Califórnia, um estábulo para cavalos aposentados, a falta de ivermectina acessível recentemente causou um debate sobre os custos. Laura Beeman, proprietária do Horsey Haven, disse que há muito tempo utiliza a droga para matar vermes nos 28 cavalos do estábulo. Os tratamentos acontecem quatro vezes ao ano, sem custo para os donos dos cavalos.

Mas com os preços do remédio aumentando, Beeman não sabia se poderia continuar oferecendo o serviço gratuitamente. Ela disse que poderia começar a cobrar dos proprietários pelos tubos de pasta de US $7,99, que antes custavam US $1,99.

“Neste momento, não tenho mais nenhum,” ela disse. / TRADUÇÃO LÍVIA BUELONI GONÇALVES

The New York Times Licensing Group - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito do The New York Times

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.