Courtesia T-Series
Courtesia T-Series

Música indiana supera números de astros do pop americano e toma conta do YouTube

Acesso à internet de alta velocidade transforma cenário musical na Índia

Andrew R. Chow, The New York Times

26 Novembro 2018 | 06h00

Taylor Swift e Ed Sheeran têm mais de 15 bilhões de visualizações no YouTube cada. Justin Bieber supera ambos, com 18 bilhões de visualizações.

Mas nenhum desses mega-astros chega perto da T-Series, uma gravadora musical e produtora audiovisual indiana que é dona do canal do YouTube mais assistido do mundo. Seus vídeos foram vistos 53 bilhões de vezes. O canal conquista mais de 100 mil assinantes por dia e está prestes a se tornar o canal mais assinado do YouTube.

A T-Series foi fundada no início dos anos 1980 por Gulshan Kumar, funcionando à base de fitas K-7. A empresa deixou para trás o lançamento de gravações piratas e começou a produzir música para os filmes de Bollywood. Já em meados dos anos 1990, a empresa era uma parte central da paisagem midiática da Índia, com subdivisões dedicadas ao cinema, televisão, mercado imobiliário e até detergente e pasta de dentes.

A partir do final de 2010, a T-Series começou a publicar no YouTube trailers e videoclipes musicais do seu catálogo, mas a maior parte da Índia ainda estava offline.

O acesso à internet na Índia foi muito ampliado em setembro de 2016, quando a Reliance Industries gastou 35 bilhões de dólares para lançar a primeira rede 4G da Índia, chamada Reliance Jio, oferecendo chamadas gratuitas e dados a um custo baixo.

A jogada, combinada ao acesso mais fácil aos smartphones, levou a internet a mais de 200 milhões de pessoas.

Na época do lançamento da Jio, a T-Series produzia dúzias de vídeos por mês para seus 12 milhões de assinantes. Um ano mais tarde, esse número tinha dobrado. Atualmente, o canal tem 70 milhões de assinantes, com seus vídeos alcançando uma média de 6,5 milhões de visualizações cada.

Seu canal do YouTube rende milhões de dólares por ano, de acordo com o Socialblade, site que analisa os dados da plataforma.

Sua estratégia tem sido oferecer um lar para os grandes astros e inundar o mercado com conteúdo que inclui músicas em idiomas regionais e canções religiosas.

Além do canal principal dedicado a Bollywood, a T-Series tem outros 28 canais, cada um voltado para uma fatia diferente do público de um país que fala dúzias de dialetos. “Não temos escolha a não ser lançar todo o conteúdo", disse Neeraj Kalyan, presidente da T-Series. “Cada conteúdo tem seu próprio público, evitando a canibalização da audiência.”

Outras empresas de mídia indianas também atraíram um público considerável no YouTube. Há três canais indianos na lista dos dez canais do YouTube mais influentes do mundo elaborada pela Socialblade: T-Series, ZeeTV e YRF.

E a T-Series está encontrando público também fora da Índia; pouco menos de metade do tráfego da T-Series vem de fora do país. Em 2016, a empresa assinou um acordo de licenciamento com a Amazon para 

o lançamento de filmes.

Kalyan espera alcançar o público indiano de todo o mundo e produzir artistas de Bollywood com apelo internacional, comparável ao de astros como os sul-coreanos BTS ou o porto-riquenho Bad Bunny.

“Bollywood não se restringe mais somente à Índia", disse Kalyan. “O mundo está cada vez mais plano.”

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.