Ryan Young / The New York Times
Ryan Young / The New York Times

Um futuro elétrico com a potência do Mustang

Com Mustang Mach E, a Ford espera que montadoras encontrem um mercado para veículos elétricos do tamanho preferido pelos americanos

Neal E. Boudette, The New York Times

16 de dezembro de 2019 | 06h00

O mais novo produto da Ford Motor é um duplo oxímoro: um veículo esportivo utilitário (SUV) e elétrico… da linha Mustang. É também a maior aposta de uma montadora americana, até o momento, em um futuro mercado de massas para os carros movidos a bateria.

As grandes montadoras têm produzido carros elétricos e híbridos há anos. Mas quase todos foram modelos menores que encontraram uma demanda limitada. Até as montadoras se referiam a eles como “carros de conformidade” — criados para atender a regulamentações ambientais enquanto as empresas continuavam produzindo carrões de combustão interna com boas vendas e lucro expressivo.

Montadoras europeias do segmento de luxo como Jaguar, Audi e Mercedes-Benz lançaram modelos elétricos — todos eles do tipo SUV. A Tesla deve chegar a cerca de 360 mil unidades vendidas esse ano, e o lançamento de um quarto modelo, estilo crossover, é esperado para o ano que vem.

Mas, com o Mustang Mach E, revelado no mês passado, a Ford espera que as montadoras encontrem um mercado para veículos elétricos do tamanho preferido pelos americanos (quase metade dos carros vendidos nos EUA é de SUVs). E o objetivo é convencer os compradores a pagar mais por baterias potentes em uma era de gasolina barata. “Espero que isso mostre o quanto estamos falando sério a respeito da eletrificação", afirmou o presidente da Ford, William C. Ford Jr.

A Ford espera que parte do interesse no Mustang original seja aproveitada pelo novo modelo, aumentando a demanda por veículos elétricos, que atualmente representam apenas 2% do mercado. A Tesla ficou com quase 80% das vendas de veículos movidos a bateria nos EUA no ano passado.

Veículos elétricos

O novo modelo da Ford é parte de um investimento de US$ 11,5 bilhões em veículos elétricos feito pela empresa. E o novo Mustang será rápido, com motores elétricos capazes de gerar grande potência. O modelo básico do Mustang Mach E terá alcance de mais de 320 quilômetros, disse Ted Cannis, diretor global de eletrificação da Ford. O carro será montado no México e o preço inicial será de aproximadamente US$ 45.000 (uma versão mais cara terá alcance de 480 quilômetros).

“Estou razoavelmente otimista diante da perspectiva de eles venderem um número decente de unidades do Mach E", disse o analista Sam Abuelsamid, da Navigant Research. 

A Ford planeja vender o Mach E também na Europa e na China. Nos 10 anos mais recentes, as principais montadoras lançaram mais de duas dezenas de veículos elétricos nos EUA, e quase todos fracassaram nas vendas. Eram modelos mais lentos, mais apertados e mais caros do que seus equivalente movidos a gasolina. Tais carros interessaram apenas aos ambientalistas mais dedicados.

A Ford produziu um modelo do Focus movido a bateria. No ano passado, essa versão vendeu cera de 560 unidades. A GM teve mais sucesso com seu Chevrolet Bolt, modelo elétrico compacto. Foram vendidas 18 mil unidades em 2018, número que continua abaixo das vendas mensais da Tesla. Cannis disse que, ao apostar no nome e no estilo da marca Mustang, “acreditamos que dessa vez o mercado vai se interessar mais." / TRADUÇÃO DE AUGUSTO CALIL

Tudo o que sabemos sobre:
Mustangcarro elétrico

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.