May Altaffer/Associated Press
May Altaffer/Associated Press

Não resiste ao olhar de um cãozinho? Agradeça à evolução

Pesquisadores descobriram que cães têm músculos capazes de criar as expressões que amolecem o coração humano

James Gorman, The New York Times

02 de julho de 2019 | 06h00

Sabe aquela expressão engraçada, talvez um pouco triste, que os cachorros fazem, de expectativa, com as sobrancelhas inclinadas? Às vezes a gente pensa que pode significar, "não fique triste. Eu posso ajudar". Outras, a pergunta é muito clara: "E pra mim, nada de salame?".

Os cientistas não conseguiram traduzir a expressão dos olhos, mas lhe atribuíram um rótulo sério: "AU101: sobrancelhas erguidas". E uma equipe de psicólogos e especialistas em anatomia da evolução informou, no dia 7 de junho, na revista Proceedings of The National Academy of Sciences que os cachorros assumem esta expressão mais frequentemente e de maneira mais intensa do que os lobos. Na realidade, ao contrário dos lobos, os cachorros têm um músculo específico, chamado levator anguli oculi medialis, que ajuda a erguer as sobrancelhas.

A comunicação dos seres humanos com os animais, um olhando para o outro, é uma questão de grande interesse para os cientistas. Anne Burrows, especialista em anatomia da Duquesne University de Pittsburgh, Pensilvânia, estudou as expressões do chimpanzé. Ela e outros pesquisadores, como Juliane Kaminski, psicóloga da evolução da Universidade de Portsmouth, Inglaterra, analisaram as expressões e a musculatura facial dos animais domésticos. Começaram com cavalos e gatos, e afirmaram que os cavalos têm movimentos faciais semelhantes aos dos cachorros, mas os gatos não. 

"Na realidade, a expressão dos gatos não muda absolutamente", afirmou.

Os cachorros foram um objeto de estudo óbvio. Muitos donos de cães costumam dizer, "Olha só esta cara!". Já existiam estudos sobre a maneira como os cachorros olham para os donos quando estes não conseguem resolver um problema, e sobre as evidências de que os cães de abrigos que usam mais a expressão "AU101: sobrancelhas levantadas", têm maior probabilidade de ser adotados. 

A equipe testou o comportamento de cachorros e lobos e gravou vídeos com as suas reações. Conforme esperado, os cachorros levantavam as sobrancelhas mais frequentemente e de maneira mais intensa do que os lobos. Os lobos não têm este músculo, mas têm muitos outros, e podem assumir até certo ponto esta expressão.

Os pesquisadores dissecaram as cabeças de quatro lobos e seis cachorros, todos adquiridos depois da morte. Toda a musculatura era exatamente igual, com a exceção do músculo levator, que nenhum dos lobos tinha. Outro músculo, que variava nos lobos e nos cachorros, também estava relacionado ao movimento dos olhos.

Os cientistas levantaram a hipótese de que os seres humanos favoreceram inconscientemente os cachorros que levantavam as sobrancelhas durante a evolução seletiva, relativamente recente. Segundo Anne Burrows, uma indicação tentadora que poderia levar a estudos futuros foi que um dos cachorros, um husky siberiano, parecia-se mais com os lobos e não tinha o levator anguli oculi medialis.

Os huskies estão mais relacionados aos lobos do que outras raças, e pode ser também que seu talento para puxar trenós tenha sido mais importante do que um rosto expressivo no desenvolvimento da raça.Juliane Kaminski explicou que gostaria de saber se o modo como um cachorro é criado interfere neste comportamento./ TRADUÇÃO DE ANNA CAPOVILLA

Tudo o que sabemos sobre:
cachorrociência

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.