Graham Walzer / The New York Times
Graham Walzer / The New York Times

Netflix aposta em dublagens de qualidade para aumentar público

A empresa busca melhorar a qualidade das versões em inglês dos programas, tornando a adaptação convincente para conquistar mais assinantes

Jill Goldsmith, The New York Times

01 de agosto de 2019 | 06h00

Em junho, a atriz Ayelet Zurer estava diante de um microfone em um estúdio de gravação em Los Angeles, lendo falas em inglês enquanto o texto era exibido acompanhando cenas da série policial espanhola da Netflix, La Casa de Papel. Ela dubla a personagem Raquel, uma inspetora de polícia durona interpretada por Itziar Ituño, mas seu trabalho ia além das palavras: ela suspirava, dava de ombros, balançava a cabeça - tudo em cuidadosa sincronia com as ações de Raquel na tela - enquanto o diretor de dublagem Matt Kollar a orientava.

“Onde foi o professor?” disse Ayelet. “Não diga ‘onde', a fala fica estranha", disse Kollar. Nesse contexto, uma fala estranha é algo diferente da linguagem oral - palavras ou sons - ou cujos fonemas não se encaixam no movimento da boca dos atores na tela. As versões dubladas das séries são comuns no mercado da TV europeia. Mas, nos Estados Unidos, a dublagem é tratada como piada, graças aos filmes de artes marciais e de faroeste definidos pela dublagem de qualidade suspeita.

A Netflix, que conta talvez com o maior acervo global de séries e filmes internacionais, quer mudar isso. Nos nove meses mais recentes, a empresa esteve recrutando ativamente atores e cineastas para criar uma cadeia de produção na esperança de melhorar a qualidade das versões em inglês dos programas estrangeiros, tornando a adaptação convincente o bastante para conquistar mais assinantes americanos.

A gigante da transmissão via streaming produz conteúdo em mais de 30 países. La Casa de Papel, que teve sua terceira temporada disponibilizada a partir de 19 de julho, é a sua série em língua estrangeira (diferente do inglês) mais assistida, disse a Netflix. Três lançamentos recentes - Como vender drogas online (Alemanha), a temporada 2 de The Rain (Dinamarca) and Quicksand (Suécia) - alcançaram “entre 12 e 15 milhões” de espectadores globais cada, disse Ted Sarandos, diretor de conteúdo da Netflix, em debate dos resultados da empresa para o segundo trimestre.

Nos EUA, muitos assinantes já preferem versões dubladas de programas internacionais do que as legendadas. Mas a Netflix está apostando que consegue aumentar o número total de espectadores de séries em língua não inglesa entre os 371 milhões de anglófonos do mundo ao oferecer dublagens em inglês de melhor qualidade.n“Estamos literalmente criando um público novo", afirmou Debra Chinn, diretora de dublagem internacional da Netflix.

La Casa de Papel será um experimento: a Netflix adotou a medida incomum de refazer a dublagem das temporadas 1 e 2 usando o novo diretor e o elenco reunido para a dublagem da temporada 3, incluindo Ayelet, que também dirige as dublagens em inglês. Em junho, o serviço substituiu a versão anterior das duas primeiras temporadas - nas quais Raquel grita coisas pouco naturais como “Silêncio!” para calar os demais oficiais - pela nova dublagem.

A Netflix costuma preparar dublagens em nove idiomas principais: francês, italiano, alemão, turco, polonês, japonês, catalão, espanhol latino-americano e português brasileiro (as legendas são oferecidas em 27 idiomas). Mas, em abril, a empresa criou um novo cargo, diretor de criação para dublagens em inglês, escolhendo como encarregado David McClafferty.

O novo diretor de dublagem incentivou seus funcionários, como Kollar, a abordar os projetos de dublagem menos como sessão de gravação e mais como uma produção própria. “A evolução da dublagem em inglês ocorre quando convidamos artistas e damos a eles a liberdade de escolher o elenco e dirigir sua interpretação com sua própria visão", disse ele. “Quero que sintam que há para eles um espaço de respeito à visão original, obtendo uma interpretação natural sem a minha interferência, nem a interferência criativa do estúdio”.

Em alguns casos, a Netflix usa parte do elenco original quando o inglês dos atores é bom o suficiente, como no caso de The Rain. McClafferty contratou o ator alemão Torsten Voges para dirigir a dublagem da série em inglês. “Nem sempre é fácil convencer os atores", mas eles costumam ser os melhores candidatos, disse Voges. “Realmente entendem os personagens”.

A boa dublagem exige atores capazes de uma interpretação natural, explorando as nuances de seus personagens para além das palavras, disse a diretora de elenco Dorit Simone, que aborda cada projeto como se fosse uma produção original. “Podemos dizer ‘eu te odeio’ querendo dizer ‘eu te amo’, e a dublagem precisa captar isso na voz".

Na sessão de gravação em Los Angeles, atores melhoravam a dublagem de La Casa de Papel. “Lembrem-se que estamos procurando um homem de meia idade", explicou Ayelet, olhando em seguida para Kollar. “Continua curto demais?” perguntou, antes de tentar outra vez: “Lembrem, estamos procurando um homem, um sujeito de meia idade…”. Em outra parte do estúdio, a atriz Hollie Sokol esperava para gravar suas falas vestindo um macacão como o usado pela personagem dela, Tóquio, no programa. “Tratamos o trabalho como cenas reais". / TRADUÇÃO DE AUGUSTO CALIL 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.