Kevin Hagen para The New York Times
Kevin Hagen para The New York Times

Relatórios mostram que edifícios de Trump estão se desvalorizando

No mercado de imóveis de luxo, há torres mais desejáveis que as do presidente

Charles V. Bagli, The New York Times

21 Março 2018 | 10h00

O presidente Donald J. Trump afirmou que as torres residenciais, hotéis e condomínios que trazem seu nome estampado em letras douradas ou prateadas são mais valiosos que os imóveis de seus rivais.

Mas novas análises de edifícios com a marca Trump em Nova York, realizadas por duas imobiliárias, revelam que os prédios do presidente, cada vez mais velhos, estão em queda no mercado.

Em 2017, os apartamentos de Trump eram vendidos pelo preço médio de US$ 18.734 por metro quadrado, ou 6,6% abaixo do condomínio médio em Manhattan, de acordo com a corretora CityRealty.

Mesmo na Torre Trump, onde o presidente tem um triplex, as vendas tiveram seu auge em 2013, com preços médios de US$ 32.292 por metro quadrado, e caíram desde então, disse a consultora de marketing imobiliário Nancy Packes.

“Os edifícios de Trump perderam o brilho", disse ela.

Quando comparados à nova geração de edifícios de extremo luxo de Billionaire’s Row, trecho da Rua 57 que inclui a Torre Trump, os apartamentos médios da marca Trump valem bem menos.

Até as vendas no Trump International Hotel & Tower, onde o preço médio era de mais de US$ 32.292 por metro quadrado, vale pouco se comparado ao prédio vizinho, no endereço 15 Central Park West, com valor médio de US$ 72.742 em 2017, liderando o mercado.

Mas a Organização Trump questionou a ideia de os preços dos apartamentos Trump estarem em queda. De acordo com a organização, os condomínios da Trump International “deram uma surra nos preços” do Time Warner Center. E comparar prédios de 35 anos atrás com novas torres de luxo seria injusto.

“Os dados podem ser manipulados para contar a história que quisermos", disse Eric Trump, filho do presidente e vice-presidente executivo da empresa. “O fato é que nossos edifícios são vendidos pelo mais alto preço por metro quadrado em todo o mundo", disse ele. “Isso é inegável.”

Os corretores dizem que a diferença não é apenas uma questão de idade. O estilo que define o gosto de extremo luxo mudou bastante, e os compradores estrangeiros, que dominam o topo do mercado residencial, têm procurado os edifícios mais recentes.

“Todos querem o apartamento mais novo, mais bacana, mais bem equipado, projetado pelo arquiteto do momento", disse Dolly Lenz, que representa compradores e vendedores do segmento de alto padrão.

Corretores, analistas políticos e compradores de imóveis especularam a respeito de qual seria o efeito da eleição de Trump no valor de sua marca. As evidências são ambíguas. O Trump International Hotel, em Washington, D.C., encheu seus quartos com lobistas e dignatários visitantes, obtendo algum lucro, disse a empresa.

Donald Trump Jr., que administra a organização com o irmão, Eric, esteve recentemente na Índia oferecendo apartamentos em cinco projetos com a marca de projetos Trump.

A organização e as empreiteiras locais afirmam que os apartamentos de Trump na Índia são vendidos por um valor 30% acima dos apartamentos médios de luxo em Mumbai, Gurgaon e Kolkata. Mas, em Toronto, o Trump International Hotel & Tower foi rebatizado como Adelaide Hotel Toronto. E, recentemente, um funcionário arrancou as letras T-R-U-M-P da fachada de um hotel e condomínio residencial na Cidade do Panamá.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.